30.12.11

#IB - The Skater Girl: 65° Parte

Horas depois.

Sentada na poltrona branca de camurça, estava lendo um livro que havia comprado na livraria no caminho de volta para o hotel. Ele é o primeiro livro da saga Rangers – Ordem dos arqueiros (Ranger's Apprentice), As Ruínas de Gorlan. Meu pai já me falou desse livro, e que ele era muito bom. Bem, eu passei na livraria com Justin e comprei-o. Pelo o que eu já li, o livro é super legal.

- (Seu nome), você nem pisca!
Abaixei o livro e olhei curiosa para Justin – O que foi?
- Podia sentar direito na cadeira?
- Mas eu estou direito!
Ele riu de mim e sentou na cama – Você deitada de cabeça para baixo, com as pernas para cima e com o cabelo encostando-se ao chão é direito, então nem quero ver o errado!
- Seu bobo, eu leio melhor em posições... Exóticas! – ri de mim mesma e me endireitei na poltrona, deitando com a cabeça e as pernas nos encostos para os braços. Voltei a ler meu livro e lembrar como o Will escalava bem as paredes íngremes do castelo de Redmont, Justin me interrompeu novamente.
- Vai me dizer que esse é o certo?
Revirei os olhos e o olhei irritada - Dá pra parar de agir como se fosse meu pai? Eu deito do jeito que eu quiser, não importa se eu vou ficar com problema na coluna ou não.

Voltei a ler e, minutos depois, vi a porta se fechar e Justin não estava mais no quarto. Ah, a culpa não é minha se ele quer agir como se fosse meu pai! Voltei a minha posição exótica e para a minha leitura cheia de aventura e mistérios.

Mode Justin on*

Não acredito que ela foi grossa daquele jeito comigo. Eu só queria ajudar e ela me respondeu com uma patada. Calma Justin, ela é assim mesmo – pensei. Minha mãe conversava com Scooter e sentei na minha cama apoiando minha cabeça com meus braços, fazendo um travesseiro. Vi Kenny entrar no quarto e sentar na cama do meu lado.

- O que foi JB? Você não está com uma cara muito boa.
- Ah... É a marrenta da (Seu nome) me dando patadas de novo. Mesmo ela tendo ficado mais doce e gentil, parece que rebelde é sempre rebelde.
- É a personalidade dela Justin. Ninguém consegue mudar a personalidade de alguém. Ainda mais a da (Seu nome).
- Concordo.
- Então dá um sorriso e larga de ficar triste por causa dela. Vocês não são mais namorados para ficarem... Pensando um no outro a casa segundo.
- Você sabe que eu ainda amo ela de paixão Kenny, não sei por que pede isso – ri dele e sentei sobre a cama – Olha Kenny, até parece que eu voltei a ser namorado dela!
- Ah Justin, só nos seus sonhos! Do jeito que ela te trata, ela nem deve mais gostar de você.
- Só você pensa isso.

Sorri convencido e minha mãe entrou no quarto sorrindo.

- Meu filho, o Scooter mandou-me te falar que amanhã mesmo nós vamos para NY.
- Sério? Mas, tão rápido assim?
- Sim, meu filho! Temos que aproveitar a onda de sucesso, certo? – minha mãe piscou para mim e sorri para ela.
- Certo! ... Então, vou ter que avisar (Seu nome)?
- Depois, quando estiver tudo conversado e combinado, você a avisa.
- Ok mãe!

Sorri animado e deitei na cama novamente, pensando em como seria o clipe.

(...)

- Avril começa a ser filmada na pista de skate junto com os ‘súditos’ da (Seu nome), se é que me entende e canta quando descer do skate. Nisso, Justin e (Seu nome) aparecem e começam a cantar... Usher, sinceramente, não consigo ter nenhuma idéia decente.
Usher riu e deu uma série de tapinhas no ombro de Scooter. – É assim mesmo e você sabe disso.
- Posso dar uma idéia? – perguntei entusiasmado.
- Claro Justin, vá em frente.
- Hm... – pensei em algo convincente – Antes que eu fale qualquer coisa, quem vai ser esse garoto que deixou a (Seu nome) para eu entrar no caminho? Que pessoa poderia ocupar o lugar dele?

Eles riram e me olharam pensativos. Não tínhamos pensado nisso antes.

- Verdade Justin, nós vamos convidar alguém para fazer uma participação especial no clipe. Idéias?

Esqueci-me de comentar, mas todos nós estávamos reunidos na Island Records® decidindo e discutindo sobre o clipe. Infelizmente, a minha marrentinha não pôde vir com a gente, mas me falou sobre o que ela queria que tivesse: Seus amigos que a chamavam de chefinha da pista. E, nisso, eu já falei com Scooter e eles vão participar do clipe.

- Cody?
- Pattinson?
- Greyson?
- Timberlake?
- Bruno Mars?

Todos se olhavam cheios de dúvidas enquanto se perguntavam em alguém que 
poderia fazer parte disso tudo.

- Gente, que tal o Zayn, do One Direction? A (Seu nome) já tinha certa intimidade com ele, são amigos há um tempinho, e ele seria perfeito! – declarou Scooter, um tanto animado com sua idéia.

Todos concordaram entre si, menos eu. Eu o odiava, e ainda odeio. Foi ele que me roubou a minha pequena quando houve todo aquele mal entendido. 

- Justin? – Perguntou Scooter.
O olhei emburrado e neguei de braços cruzados. – Eu não gosto nadinha dele, Scott.
- E eu sei muito bem por que. Pare com essa briga entre vocês! A (Seu nome) está solteiríssima e pode escolher quem ela quiser, ou não.

Aquilo me doeu o coração. Ela é minha namorada e não está solteira coisa nenhuma.

Olhei para Scooter enfezado e ele riu de mim. – Vai ser ele e pronto. Tenho certeza que ela vai aceitar ele, com certeza.

Revirei os olhos e me levantei, saindo da sala. Sinceramente, não queria ficar ali.

Mode Justin off*

Depois de horas lendo meu livro extraordinário, acabei tendo que ir resolver umas coisas sobre meu pai ao invés de ir resolver as filmagens do clipe. Era uma conta que eu não tinha pagado no banco de Atlanta, sei lá, mas eu tive que ir lá resolver isso.

Chegando ao banco, tudo estava vazio, bem, banco não é lugar de estar vazio... Eu acho. Fui até um balcão de informações e deixei meus ombros caírem ao olhar a moça loira de meia idade olhando as fofocas no Facebook ao invés de me dar atenção. Pigarreei e ela me olhou desinteressada. 

- Vocês me ligaram para saber de uma conta que meu pai não tinha pagado.
- Sim, seu pai é Marcus (Seu sobrenome)?
- Marcus?
- É, Marcus!
- Mas, meu pai se chama Marcos, e não Marcus.
- Ah, então acho que houve um engano.
- Hmm, entendo. Então, não é meu pai?
- Não senhora.
- Ótimo.

Saí do banco sem entender nada. Peguei um táxi e voltei para o hotel.

(...)

- Vai Will! Salva eles! Mata o Kalkara!

Lá estava eu, falando sozinha e lendo deitada na cama com meus cotovelos apoiados na cama, com minhas mãos sustentando minha cabeça. Estava deitada de bruços e com os pés cruzados. Ri de mim e virei a página, ficando cada vez mais vidrada no livro. Escutei batidas na porta e mandei entrar. Olhei curiosa para a porta e vi Charlie com um buque de rosas em uma das mãos e sorrindo. Chamei-o com os dedos e marquei o livro na página em que parei, fechando o livro e sentando na cama.

- Você, aqui em Atlanta?
- Vou aonde você for. São para você – ele me entregou o buque e sorriu, devolvi o sorriso e peguei as rosas, cheirando-as.
- Que perfume... Porque sempre me traz rosas? Isso chega a ser repetitivo!

Ele riu e sentou na cama ao meu lado. Coloquei as rosas atrás de mim e vi-o fitando meu livro.

- Rangens – Ordem dos arqueiros?
- É... Meu pai já tinha me falado desse livro há tempos, e só agora decidi comprar e ler.
- E já está nessa página? 169? Quando começou a ler?
- Hoje!
- OMG. Você é louca.

Ri dele e cruzei as pernas. Ele me olhou sorridente e suspirou.

- Estranho o seu amiguinho não ter te procurado, ainda. 
Revirei os olhos e empurrei seu ombro – Até parece né Charlie! Ele está em um tipo de reunião da gravadora em que eu também deveria estar.   
- Sobre?
- Quer mesmo saber?
- Claro!
- Sabe a música Skater Girl?
- Sei, e o que tem a música?
- Vai ter o clipe dela.
Ele me olhou surpreso e me abraçou – Que legal, (Seu nome)! Você deve estar muito feliz com isso.

Sorri e ele sorriu de volta. Me solto de seus braços e, nesse exato momento, olho para a porta e vejo Justin me fitando com desgosto e surpresa. Charlie, notando o clima pesado, saiu do quarto e deixou-nos sozinhos. Justin me olhou interrogativo e mordi os lábios tensamente.

- No banco, não é?
- Antes de você vir para cima de mim com paus e pedras, posso me explicar?
Ele revirou os olhos, exausto e sentou ao meu lado, me mandando continuar com gestos.
- No banco, houve um engano. Na verdade, uma confusão. Era Marcus o nome do homem que estava devendo e não o meu pai. Depois de horas que eu já tinha chegado aqui no hotel, Charlie chegou com aquele buque nas mãos - apontei para o buque que estava atrás de mim sobre a cama e continuei – e sorrindo de orelha a orelha. Como você queria que eu recusasse que o meu amigo entrasse no quarto por puro ciúme seu?
- Isso que me deixa enciumado. Esse agressor que você chama de “amigo”, só quer se aproveitar de você!
- E você é quem para discutir com quem eu ando ou deixei de andar?
- Seu namorado!
O olhei inconformada e tampei sua boca com minhas mãos. – Shh! Se Charlie te escutar, estaremos fritos! Justin, eu já te disse isso, temos que agir como se fossemos só amigos!
- E eu já te disse que não consigo! Toda vez que te vejo bravinha desse jeito, é como se teus lábios me chamassem. – Ele suspirou e vi seus ombros caírem quando ele respirou fundo – Sinceramente, não vejo à hora de você parar de tratar desse jeito.

Sorri e encostei minha cabeça em seu ombro direito e respirei fundo. De certa forma, Justin estava certo. Eu também não via à hora de tratar ele como meu namorado de verdade. Senti sua mão direita se entrelaçar na minha e sorri em seguida. Olhei para ele e Justin devolvia o sorriso.

- Espera. – parei por um segundo e levantei da cama, soltando minha mão da dele.

Fiz um sinal para que Justin fizesse silêncio e abri a porta bruscamente, fazendo Charlie cair de cara no chão e o admirei com descaso.

- Charlie McDonnell, o que você ouviu?

Ele me olhou envergonhado e sentou no chão olhando furioso para Justin.

- Sabia que você estava namorando com esse... Pivete.
- Ah, agora ele vai querer se intrometer na nossa vida amorosa, (Seu nome).
- Parem vocês dois, ok? Charlie, como você ouviu de enxerido, Justin é meu... você sabe o que, e Justin, Charlie é meu melhor amigo, então, vocês vão ter que parar de brigar e se aceitar como amigos.
- Nunca iria ser amigo de um ruivo descarado como ele.
- E eu nunca vou ser amigo de um loiro metido a boneca.
- Hey! Não se atreva! – Disse Justin, levantando e arregaçando as mangas da camiseta xadrez.
- Parem com isso! – gritei em alto e bom tom – Se vocês não se tornarem amigos, pode ter certeza que eu não vou fazer nenhum clipe e não vou nem ver essa cabecinha ruiva de novo.

Eles me olharam com os olhos arregalados e com medo. Os dois se ajoelharam no chão e pediram por piedade. Sorri maldosamente e mordi os lábios.

- Vão ser amigos?

Charlie e Justin se olharam dando uma trégua e concordaram de cabeça baixa. Sorri vitoriosa e fiz eles darem as mãos.

- Ótimo – sorri vitoriosa novamente e sentei na cama – Vocês podem dar licença do quarto? Tenho muitas páginas para ler ainda e com vocês aqui é impossível.

Eles reviraram os olhos e saíram juntos. Ri da minha façanha e deitei de bruços na cama, já abrindo o livro.
..........................................................................................................

Heey Girls *-* 

É, deu certo de postar hoje! Mas, infelizmente, esse fim de semana não vai dar mesmo. Bem, fiz um grande em compensação a esses dois dias! Espero que gostem (:

Será que essa amizade irá durar por muito tempo? O Zayn vai ser o escolhido? E o clipe, como vai ser? Só no próximo capítulo! ;* 

Gostaram? Me avisem!
~~ 10 comentários? ~~

Giih <3 

29.12.11

#IB - The Skater Girl: 64° Parte

Cara, nem dá para acreditar que a música foi um sucesso total. Parecia ser até um sonho maluco, mas, felizmente foi real.

Estávamos na festa em comemoração ao show bem sucedido. Tinham vários famosos: Katy Perry, Bruno Mars, Miley Cyrus e até a Selena teve coragem de aparecer aqui – mas sem encher ninguém. Fazia horas que todos nos elogiavam pela canção bem cantada e pela melodia. “Vocês foram demais!”, “Não tinha como ter sido mais perfeito! Vocês dois juntos são perfeitos!” “Vocês dois juntos ainda vão ser sucesso mundial.” Se eu fiquei sem graça? Sim ou claro? Depois de ser elogiada ao máximo por todos, sentei-me ao lado da piscina e vi Usher e Avril se aproximarem.

- Podemos conversar, em particular? – disse Usher, apontando para dentro da enorme casa de Justin.
- Claro.

Entramos e fiquei muito surpresa com o tamanho da casa dele, afinal, só tinha ficado até agora no quintal – que é enorme -, mas não dentro da casa.


Subimos e entramos em um dos quartos, que parecia ser o do Justin. Ele estava sentado em sua cama e tocando violão enquanto nos esperava. Justin cantava Can't Live Without You, e seus olhos brilharam ao me ver sorrindo admirada com sua voz. Parou de tocar e deixou seu violão de lado.

Um silêncio mortal dominou o quarto. Justin e eu trocávamos olhares calmos, até que Usher quebrou o gelo, deixando todos atentos a ele.

- Garotos, eu e Scooter andamos discutindo e... Depois de ter essa idéia maluca, conversamos com o empresário da Avril, que concordou plenamente em colaborar conosco.
- Do que você está falando, Usher? – perguntei sem entender nada.
- Queremos dar o privilégio da música Sk8er Girl ter seu vídeo oficial. O que acham?

Justin me olhou surpreso e sorridente. Levantou-se da cama e me abraçou forte, falando que só a música já foi um grande sucesso, imagine o vídeo! Eu já tinha imaginado que me diriam isso, mas, sei lá, não tão cedo assim.

- Adorei a idéia! Vai ser ótimo trabalhar com a minha marrentinha, quero dizer, com a (Seu nome), ainda mais gravando um vídeo!
Empurrei Justin e revirei os olhos – Mas, se você falou com o empresário da Avril, quer dizer que...
- Ela vai trabalhar com vocês no vídeo – disse Usher, me interrompendo.    
- Sério? – dissemos eu e Justin, em tom uníssono.
- Sério.

Olhei para Avril surpresa e ela sorriu. Eu a adoro de coração, mesmo eu tendo alma de roqueira, ela é uma das melhores cantoras de pop rock do mundo!

- Será um prazer colaborar com vocês.
- Também acho – Usher concordou e saiu do quarto com o celular colado em seu ouvido.
- Mas... Onde iremos fazer o vídeo? – perguntou Avril.
- Que tal em NY? Lá tem as melhores pistas de skate que eu conheço.
Justin sorriu depois que eu disse isso – Foi em uma dessas pistas que conheci a (Seu nome).

Olhei para ele com olhar de piedade: Cala a boca, seu Mané – Ah, eu me lembro desse dia, foi tão... Estranho. Mas, pensando bem, não me arrependo de nada. Justin sorriu sombrio e, inevitavelmente, surpreso. Usher voltou ao quarto e, dessa vez com Scooter.

- Então... Vão mesmo fazer o clipe?

Biebs me olhou sorrindo e concordou. Scooter, praticamente me obrigando a dizer sim com seu olhar esmagadoramente ansioso, sorriu para mim também.
- Bem, não tenho nada a perder mesmo!

Rimos juntos e passamos as últimas horas conversando sobre como seria o clipe.

(...)

Acordei com um despertador altíssimo apitando em meu ouvido. Abri os olhos com dificuldade e taquei meu celular no chão. Com a batida, minutos depois, sinto uma mão morna tocar-me em meu rosto, me acariciando lentamente. Abri os olhos sem vontade alguma de saber quem era e me virei de lado, cobrindo uma cabeça. Justin riu de mim e sentou do meu lado na cama, puxando meu cobertor.

- Acorda (Seu nome), temos uma entrevista daqui vinte minutos!
- Foda-se, eles querem você e não a mim.
- Eles querem nós dois.
- Não, eles te querem. Você tem os seus fãs, os seus paparazzi. Agora, me deixa dormir, deve ser umas cinco da manhã agora.

Ele riu e deitou do meu lado e ficou mordendo minha bochecha. Fazia cócegas, sinceramente. Sorri levemente e empurrei-o da cama, e o malandro segurou em meu blusão a fim de tentar se agarrar em algo e nos espatifamos no chão. Nossos corpos colados e respirações entrelaçadas. Estava por cima dele e aquela imensa vontade de morder seus lábios carnudos e vermelhos veio à tona, mas não sou louca e nem atirada.

Seus olhos penetrantes com seus tons cor de mel magnífico não me deixaram sair daquela posição “colada”. Ficamos minutos em silêncio só olhando nos olhos um do outro. Não sei por que, mas o olhar dele tinha ciúme, muito ciúme. Não sei de que, mas tinha ciúme.

Sua respiração era quente e seus lábios me chamavam. Molhei os lábios e me levantei, ajeitando meu blusão. Justin levantou também e ficou me fitando enquanto procurava algo debaixo de minha cama – minhas pantufas, é. Bem, eu só estava com aquele blusão, então, já até sei onde Justin olhava. Eu estava de bruços na cama com a cabeça olhando debaixo da cama e me abaixando lentamente para agarrar as minhas pantufas de coelhinho.

- Porque você insiste em me provocar, hein, senhorita (Seu nome)?
- Eu? Te provocar?
- Lógico! Você fica com uma blusa dessas, usando um dos seus famosos Victória’s Secret® e fica nessa posição na cama?
Ri dele enquanto dava uma cambalhota na tentativa de cair no chão e pegar as pantufas – Ah Justin, a culpa não é minha que você insiste em saber qual tipo de lingerie eu estou usando... É... Como eu disse: a culpa não é minha.
Peguei-as e vi-o mordendo os lábios – Verdade. Não consigo resistir. Você tem curvas lindas e ainda usa lingeries que te valorizam mais ainda.

O olhei irônica e joguei um travesseiro em seu rosto. Ele o pegou e jogou em mim de volta.

- É... Não quero começar uma guerra de travesseiros, agora, se me der licença.

Mostrei a porta para ele e com meu olhar inocente. Ele me suplicou com um olhar de piedade, pedindo para ficar e revirei os olhos.

- Se não se lembra, estamos namorando escondido, então, você tem que agir como se não fosse meu namorado!
- Mas não consigo fazer isso. E qual o problema de eu ficar aqui?
- Daqui a pouco sua mãe ou qualquer outro vão entrar aqui e procurar você. Então, é bom você cair fora antes que eu te obrigue – sorri maléfica e ele cruzou os braços, fazendo um biquinho de ‘não vou’.

Ri dele e empurrei-o para fora do quarto. Porém, ele é tão malandro que conseguiu se virar e tropeçar, caindo em cima de mim. Murmurei e tentei sair de cima dele.

- Agora você não me escapa – Justin disse lentamente, molhando seus lábios.
- E quem disse que eu quero escapar do meu quarto?

Ele esboçou um sorriso e colou nossas testas, fazendo nossas respirações unirem-se novamente. Sinceramente, eu queria beijar ele e muito, mas não posso.

- Para Justin, sai de cima de mim, por favor.

Virei o rosto e olhei triste para o chão esbranquiçado. Ele finalmente entendeu meus pedidos e levantou me dando sua mão direita.

- Desculpa marrentinha, eu saio do quarto. Esteja pronta em... – ele olhou no relógio preto preso em seu pulso e focou seu olhar no meu novamente – dez minutos.
- Ok, você sabe que eu me arrumo rápido.

Ele sorriu e saiu do quarto. Virei-me para pegar uma roupa em minha mala e alguém me vira de volta e me beija. Esse Justin...

Coloquei essa roupa e corri para o ônibus de Justin para esperá-lo.


(...)

- A música de vocês foi um sucesso total!
- Que nada, não acho isso – dei de ombros e Justin riu de mim.
- Ela é muito modesta. Realmente, o sucesso foi evidente. – Usher, que estava sentado ao lado de Justin, abriu um sorriso largo e uniu suas mãos.
- Concordo. Ainda mais quando eles trabalharam sem parar nisso.
- Sem nenhum ressentimento?
- Nenhum.

E lá vem o burburinho começando seus boatos maldosos – pensei.

- Ótimo! Então, vocês voltaram a ser amigos como se nada tivesse acontecido?
- Não – admiti – é claro que aconteceram muitas coisas e é impossível evitar isso. Mas, isso não influência em nada hoje. Passado é passado, presente é presente.

Mesmo disfarçando muito bem, eu vi que Justin ficou magoado com o que eu disse. Mas, eles têm que pensar que é isso que está acontecendo! Nada, nadinha entre nós dois.

- Legal... E, vocês estão pensando em fazer o clipe de Skater Girl?
- Sim, sim – disse Usher, já interessado no assunto – Estamos planejando tudo. Em poucos dias, vamos nos direcionar para o local das filmagens que já está sendo preparado e começaremos a filmar com todo o vapor.

Todos da platéia gritaram. Meu deus, nem foi tão bom assim!  

- Então... Para encerrar, podem cantar para nós?

Sorrimos juntos e levantamos já indo para o centro do palco. A música começou a tocar e mordi os lábios enquanto ouvia a voz melódica de Justin cantando. Cantei, dancei e ri de Justin com suas palhaçadas enquanto cantava. Terminamos a música com vários aplausos vindos de todos e com gritos. Acho que ainda vou ter que me acostumar com isso, haha.
..........................................................................................................

Heey Girls *-* 

Caramba, eu consegui escrever hoje, e muito ainda! LOL' Porém, acho que não vou postar pelos próximos três dias. E contra a minha vontade! Droga :/'. Mas, eu vou tentar, tá? Never Say Never (: 

Como será que vai ser o clipe? Só no próximo capítulo! ;* 

Gostaram? Me avisem! 
~~ 10 comentários? ~~ 

Giih ♥ 

28.12.11

#IB - The Skater Girl: 63° Parte

Horas depois.

- Não vejo à hora de nós tocarmos nossa música, marrentinha.
- Eu não vejo não, nem quero cantar.
- Ah, por quê?
- Porque sim?

Ri dele e peguei um dos doritos do pacote de Justin. Nós assistíamos ao filme A garota da capa vermelha e já no começo eu estava morrendo de medo. Odeio filmes de suspense, é.

- Biebs...
- Sim?
- Não quero assistir esse filme.
- Está com medo?
Concordei e ele sorriu, me abraçando. – Relaxa, se ficar com medo pode me abraçar e não soltar.
- Ok.

Eu tremia de medo. Sério, odeio filme de suspense e ainda mais de terror. Agarrei Justin na primeira oportunidade que tive e ele beijou minha testa.

- Não precisa ficar com medo, eu estou aqui!
- Eu... Eu sei! Mas, eu odeio esse tipo de filme, a Amanda assusta!

Ele riu de mim e pausou o filme. Deitou-me em seu peitoral e ficou acariciando meus cabelos. Ficamos horas assim, juntinhos. Lembrei-me de uma vez que meu pai foi tocar para mim uma música em português quando eu era pequena. Apesar do tempo, eu sempre me lembro dele cantando Sutilmente, do Skank. Pode parecer bobo, mas toda vez que me lembro dessa música, me passa um filme de todos os momentos bons que passei com ele até hoje. Sorri e Justin beijou minha testa.

- Seus pensamentos estão tão longe assim? – perguntou ele, colocando suas mãos ao meu redor, me abraçando.
- Estão, e até demais. É... Você não vai apertar o play, né?
Justin riu de mim e pegou em uma de minhas mãos. – Só se você quiser. Ah, mais tarde é a estréia da música, você tá sabendo, não é?
- Não e... Sim – ri de mim e me virei de frente para ele -, eu só estou com medo de errar. Nunca cantei em público uma música parcialmente criada por mim.
- Eu também estou com medo, sempre dá aquele friozinho na barriga antes do show.
- Ah, mas você já é acostumado! Nem adianta comparar.
- E você vai se acostumar, ainda mais agora que é só o começo.
- E o fim também – sorri e ri de mim -, ok, ok, eu sei que sou doida.

Bateram na porta e Justin mandou-o entrar. Era Scooter.

- Sabia que vocês estariam juntos.

Olhamos-nos e levantei minha sobrancelha direita quando olhei para Scott. 

– Ah, agora eu não posso mais assistir um filme junto com ele que pensam isso. Mereço?
Justin riu e piscou para mim. – Deixa ele (Seu nome), depois que a Carin ficar sabendo das revistas que ele olha, ele vai se esquecer da gente, rapidinho.
- Você não ousaria! – Ele olhou para Justin como se fosse o fim do mundo.
- É claro que ousaria, você está insinuando uma grande mentira! Isso não tem perdão...
- Por favor, não! Ela odeia que eu vejo Playboy!

Mordia-me para não rir.

- Então, retire o que disse.
- Achei vocês! É... Se arrumem, o show é daqui a pouco.
Justin sorriu vitorioso e molhou os lábios. – Assim está melhor, Scott “Scooter” Braun.

Rimos juntos e Justin levantou-se e foi falar algo com Scooter. Fiquei olhando 
para aquela imagem congelada no visor da TV e tampei meu rosto com o travesseiro.

(...)

Arrumava-me rapidamente, segundo Scooter, eu tinha que ter aquele visual de skatista como eu sempre tive, haha. Coloquei minha blusa do forever alone  com uma camiseta xadrez preta e branca por cima, meu short preferido, e meu all star novo que meu pai havia me dado. Coloquei meu boné da NY e me olhei no espelho.

- Uma legítima garota skatista.

Virei-me e lá estava Justin me fitando.

- Seu doido, quer me matar de susto?

Ele riu e me chamou para irmos ao local do show.

(...)

- Estão prontos para Sk8er Girl? – Gritou Justin.

Todos responderam um grande “SIM!” e ele começou a cantar. Justin cantava perfeitamente. Estava ao lado dele dançando até que chegasse a minha hora de cantar.

(...)

Aqui a letra para vocês:

Sk8er Girl

(Justin)
She was a girl, he was a boy
Can I make it any more obvious?

She was a punk, he did karate
What more can I say?

She wanted him, he'd never tell
Secretly he wanted her as well

But all of his friends stuck up their nose
They had a problem with her short clothes

((Your name) & Justin)
She was a skater girl
He said 'see you later girl'
She wasn't good enough for him
He had a pretty face
But his head was up in space
He needed to come back down to earth

(Your name)
Five years from now
He sits at home
Feeding the baby
He's all alone

He turns on tv
Guess who he sees?
Skater girl rockin' up MTV
He calls up his friends
They already know
And they've all got tickets to see her show
He tags along
Stands in the crowd
Looks up at the woman that he turned down

((Your name) & Justin)
She was a skater girl
He said 'see you later girl'
She wasn't good enough for him
Now she's a superstar
Slammin' on her guitar
Does your pretty face see what she's worth?

She was a skater girl
He said 'see you later girl'
She wasn't good enough for him
Now she's a superstar
Slammin' on her guitar
Does your pretty face see what she's worth?

(Justin)
Sorry boy but you missed out
Well, tough luck, that girl's mine now
We are more than just good friends
This is how the story ends
Too bad that you couldn't see
See the woman that girl could be
There is more than meets the eye
I see the soul that has in inside

She's just a girl
And I'm just a boy
Can I make it any more obvious?

We are in love
Haven't you heard
How we rock each others world?

I'm with the skater girl
I said see you later girl
I'll be backstage after the show
I'll be at the studio
Singing the song we wrote
About the boy you used to know

((Your Name) & Justin)
I'm with the skater girl
I said see you later girl
I'll be backstage after the show
I'll be at the studio
Singing the song we wrote
About the boy you used to know
..........................................................................................................


Heey Girls *-* 

Bem, vocês viram que nos últimos dias eu não postei. Está ficando difícil demais para mim postar, ainda mais quando eu virei a empregada daqui de casa. Gatas, eu sei que vocês querem me matar em pensamento, mas, se eu não der um tempinho na ib, minha mãe me mata! Bem, eu vou acabar morta no final da história mesmo... Vocês já vão ter me matado quando lerem isso, haha. 

Quem gostou da letra? Fui eu quem mudei! Ficou um lixo, é :/ 

Indicações: 

Gostaram? Me avisem!
~~ 10 comentários? ~~ 

Giih ♥