30.4.12

#IB - The Skater Girl: 98º Parte

- É que eu... eu...
- Fala Christian!
- Eu gosto da (Seu nome), Justin.
- Como assim?
- Cara, não fica bravo, mas eu amo a sua garota. Sei lá, ela é de deixa qualquer um morrendo.
- Você está insinuando que você ama a minha mulher?
- Eu não queria te contar, mas, não fica bravo!
- Você já fez algo que a magoasse?
- Só uma vez...

Peguei no colarinho da camiseta dele e o levantei do ar.

- O que você fez?

Meu sangue ferveu. Por mim, tudo bem ele gostar da minha marrentinha, mas, machucar ela é demais!

- Não... respiro...
- Fala agora Chris.

Christian estava roxinho e o soltei. Não tinha reparado na força que eu fiz. Ele respirou fundo e ficou ofegante depois.

- Me desculpa, eu não queria... – disse ele, tentando pegar mais ar.
- Só se me contar!
- Eu a beijei, mas...
- O que? Você é um... – respirei fundo e tentei me acalmar – Chris, como você pôde beijar a minha namorada?
- Eu não resisti! Desculpa Justin, mas ela estava tão linda e...
- Entra no quarto agora que eu já volto.

Ele me olhou confuso e o mostrei a porta do quarto.

- Dá pra entrar no quarto, porra?

Chris entrou correndo e fui atrás da (Seu nome). Abri a porta do quarto e vi que ela trocava de roupa. Sorri e entrei cautelosamente, fechando a porta.

- Biebs...

Me virei e ela sorria para mim. Ela estava só de short e sutiã e ri mordendo os lábios.

- Eu preciso falar com você.
- O que foi Justin?

(Seu nome) vestia uma camiseta enquanto criava coragem de perguntar sobre o Chris.

- Você parece preocupado. Aconteceu alguma coisa?
- Bem... aconteceu.
- E o que é?

Fiquei em silêncio e a olhei nos olhos quando sentou do meu lado na cama.

- Você já beijou o Chris?

Minha marrentinha abaixou a cabeça e assentiu, muito culpada.

- Na verdade, foi muito estranho. Lembra quando você tava procurando o seu boné, no dia das gravações?
- Lembro sim, o que tem?
- Quando eu saí do banho e estava trocando de roupa, o Chris beijou o meu pescoço, mas eu não sabia que era ele. Eu achava que ela você fazendo mais uma de suas gracinhas, sabe?

Assenti atento às palavras dela e ela continuou:

- E eu o beijei...

(Seu nome) tampou seu rosto com suas mãos e escutei os soluços vindos dela. Abracei-a forte e beijei sua bochecha.

- Não chora meu amor, não quero te ver triste!

Ela destampou seu rosto e secou as lágrimas com as costas das mãos.

- Me perdoa, eu não sabia Justin!
- É claro que eu te perdoo! Mas, o Chris...
- Não faz nada com ele, por favor.
- Por quê? Ele ficou te assediando e ele não merece ser punido?
- Ele me pediu desculpas depois, Justin.
- Hã?
- É! Eu falei pra Cait e ela foi brigar com o Chris. Depois, ele veio pedir desculpas. Eu fiquei chateada demais, porque não sabia como te contar isso.
- Por isso que você ficou triste?
- É sim.
- Ah... Mas, como ele se desculpou?
- Ele ficou magoado por eu estar triste com o que ele fez e eu disse que entendia ele, porque o Chris é louco por mim e tal.
- Você sabia?
- É claro! O que você achava que a Cait tinha contado pra mim naquele dia?
- Era isso?
- Era!
- Hmm... Então, agora que eu já sei o que é, tenho que acertar as contas com o Chris.
- Você vai brigar com ele?
- Não, mas eu vou falar umas poucas e boas.

(Seu nome) deu de ombros e a abracei. Sorrimos juntos e a selei gentilmente. Avisei que nós teríamos que ir ao o estádio daqui a pouco, e (Seu nome) assentiu feliz, lembrando-se de toda a banda do Guns com quem ela trabalhou durante um tempo. Fomos para o quarto do Chaz e chamei Chris para conversar fora do quarto.

- Você não quer mais ser meu amigo, não é?
- Eu quero sim Chris, mas você vai ter que prometer que não vai tocar na minha garota com malícia outra vez.
- É claro que eu prometo Biebs. Eu estou arrependido do que fiz.
- Ainda bem. Mas, se você ousar tocar nela de novo...
- Eu já entendi, Justin.
- Então tá.

Apertamos as mãos e o abracei, dando os típicos tapas nas costas. Voltamos para o quarto todos ficaram felizes por nós não termos deixado de sermos amigos. Afinal, ele é o meu amigo de Stratford, o que sempre esteve comigo. Como iria acabar com uma amizade dessas?

Ficamos conversando e, quando deu o horário de irmos para o estádio, todos nos arrumamos e fomos para lá com minha mãe e o Kenny.
.............................................................................................................................      
Hey Geliebers *-*

Olha eu aqui de novo! o/ hahah'

Pelo menos, não teve briga, não é? E o que será que eles vão fazer no estádio? Só no próximo capítulo! ;*

Gente, eu não sei se repararam, mas esse já é o 99º capítulo. Caramba, são capítulos demais, não acham? Então... o final está próximo. Não chorem please, mas, a The Skater Girl está nos seus últimos capítulos.

Indicações:

Gostaram? Comentem!
~~ 10 comentários? ~~ 

Gih  

#IB - Believe In Everything: 23º Parte

Acordei com o sol batendo em meu rosto e esfreguei minhas mãos em meus olhos, tentado acordar. Espreguicei e olhei no despertador da Lulu, já eram 10hs. Vesti uma roupa qualquer e desci para a cozinha. “A dona Sarah deve estar precisando de ajuda na cozinha”, pensei, já descendo às escadas.
Cheguei lá e a vi mexendo nas panelas e com um avental azul e branco. Dava para sentir o cheiro lá da escada, e isso estava me deixando morto de fome.

- Bom dia, querido.
- Bom dia, dona Sarah.

Sentei em uma cadeira e fiquei fitando ela cozinhar.

- Olha, o cheiro tá uma delícia.
Sarah riu e virou-se para mim – Macarrão ao molho branco. Está tão cheiroso assim?
- Está, e demais. Os outros já acordaram?
- O Alfredo saiu com o Kenny para encontrar com o Scooter em algum lugar.
- Ah, deve ser com o pessoal da gravadora.
- É, acho que foi isso mesmo que eles disseram.
- Bom saber. É... e a Luísa?

Eu resisti em perguntar, mas, a vontade foi maior que eu.

- Eu liguei para ela tem alguns minutinhos, Justin. Ela disse que só iria terminar de arrumar a bagunça das garotas com a Manuela e já estava vindo.
- Legal. Ela se divertiu?
- Ela disse que sim e que não, mas não me disse nada.
- Hm... então tá.

Um silêncio praticamente chato tomou conta do aposento e cruzei meus braços. Sarah voltou sua atenção às panelas e fiquei pensando no que foi esse “não” na resposta da Luísa. “Será que o Otávio maltratou ela?”, pensei “Ah, se ele fez isso, eu juro que mato aquele bad boy”.

- Quer provar um pouquinho, querido?

Voltei a olhar para a dona Sarah e assenti. Ela trouxe uma colher com um pouco de molho e me deu para provar. Sinceramente, estava muito bom – e quente.

- Está uma delícia Sarah! Acho que eu comeria o macarrão sozinho!

Dona Sarah riu e aumentou o fogo do macarrão.

- Que bom que gostou.

Mordisquei uma de minhas unhas e voltei a pensar na Luísa. Faltavam só dois dias para eu voltar aos Estados Unidos e iniciar o meu novo CD, Believe. Antes de eu ir, eu já estava escrevendo um pouco da música, mas ainda falta o final e eu já tenho em mente como fazê-lo. Sorri ao pensar isso e cruzei meus braços novamente.

- Justin?
Olhei para ela e tentei voltar à realidade. - Sim, dona Sarah?
- Você sabe o que a minha filha quer fazer com o dinheiro do concurso? Ela não me fala sobre essas coisas.
Sorri meio envergonhado e assenti – Ah, ela sempre fala desse carro que o pai dela quis dar pra ela, sabe? E, com esse dinheiro do concurso, acho que ela vai comprá-lo.
- Mas aqui no Brasil ela não tem idade o suficiente pra isso.
- Ela vai fazer 16 anos, não é?
- Isso mesmo, 16.
- Então, nos Estados Unidos ela terá.
- Mas ela voltou a morar comigo, querido.
- E se o pai dela comprar o carro e deixá-lo lá até ela ter idade de dirigir?
- É verdade. Mas, eu queria tanto ter feito uma festa pra ela, sabe? Mas, ela é tão chata que nem gosta de festas.
Ri do que ela disse e cocei meu queixo – Deixa a Luísa fazer o que quer, não é? Não vai adiantar gastar muito em uma coisa que a ela não quer.
- É mesmo Justin. Querido, você pode por a mesa para mim, por favor?
- Claro.

Fui arrumando a mesa e de repente, sinto alguém beijar meu pescoço. Meus olhos rolaram e deixei os pratos em cima da mesa. Me virei e vi Luísa rindo de mim. Sorri de volta e a abracei.

- Como foi ontem, Lulu? – perguntei, beijando sua bochecha.
- Foi bom. Quer ajuda com a mesa?
- Eu aceito sim.

Rimos e ela foi pegar os talheres enquanto eu espalhava os pratos pela mesa. Mordisquei meu lábio inferior pensando se ela só tinha dito que foi bom para não preocupar a mãe ou algo parecido. Terminamos e dona Sarah deixou nós subirmos um pouco para por o papo em dia até o macarrão ferver.

Subimos juntos e ela deixou suas coisas em cima da cadeira azul. Luísa já foi retirando tudo de dentro da mala e ia escutando o que eu falava pra ela do que tinha acontecido comigo na noite passada. Enquanto eu falava, ficava reparando em cada detalhe de seu corpo.

Luísa vestia um minisshort branco e uma blusa xadrez vermelha e preta. A roupa emoldurava seu corpo cheio de curvas e sorri ao fitá-la. Seu cabelo castanho liso estava solto e brilhoso como sempre. O sorriso, inexplicavelmente lindo. “Como ela consegue ser tão linda?”, disse para mim mesmo.

- As fãs te atacaram?
- Atacaram. Mas eu corri para o banheiro e, eu fui atender a Selena.
- A Selena? O que vocês conversaram?
- Eu disse para ela que estava no Brasil e...
- Ela deve ter dado um chilique, com certeza.
- Sim, ela deu um chilique.

Rimos e Luísa fechou o guarda roupa, voltando para a cama e sentou na minha frente.

- E depois? – perguntou ela, com um lindo sorriso no rosto.
Sorri de volta e cruzei meus braços. – Eu disse que iria conversar com ela depois, mas nem liguei de volta.
- Você tem que ligar Justin! Liga, vai!
- Só se você me contar o que aconteceu com você ontem à noite.
- É claro que eu conto.

Um sorriso sincero alargou em seu rosto e Luísa levantou da cama outra vez, guardando mais coisas.

- Nós comemos cookies, brincamos de o jogo da verdade, e dormimos. Não foi nada demais.

A olhei desconfiado e mordi meus lábios. “E a parte ruim?”, pensei.

- Sua mãe me disse que você não gostou muito de ter ido.
- Ah, as meninas só falavam de sexo e mais sexo. Eu fiquei excluída no meio delas. Eram todas mais velhas que eu, sabe? Elas tinham 19, 20 anos.
- Nada mais?
- Nada.

Naquele momento, ela estava virada de frente para mim e olhei nos olhos verde-acinzentados dela. Parecia esconder algo de mim, sei lá. Ela estava com uma marca roxa no pescoço e, não posso duvidar do que deve ter acontecido ontem à noite. Respirei fundo e fechei os olhos.

- E esse chupão no seu pescoço?
- Onde?

Luísa pareceu desesperada ao procurar o chupão. Viu só? Mentira tem perna curta.

- Vai dizer que foi só isso, agora?
- Não é o que você está pensando Justin, eu posso explicar.
- Então explica Luísa.

Ela parecia estar com medo de me contar. Lulu mordeu seus lábios e sentou do meu lado, apertando uma das minhas mãos.

- As meninas deram a ideia de irmos jogar ‘sete minutos no céu’ e, os meninos estavam brincando também.
- Vai me dizer que você transou com o Otávio.
- Não, não foi nada disso. Sim, a garrafa fez o meu par ser o Otávio, mas, a gente não transou. Eu seria louca se fizesse isso. Eu não me sinto pronta, sabe? E também muito nova.
Ri dela e a abracei – Mas, pelo jeito você o beijou demais, não é?
- Ele que me beijou. E ele queria ir para a próxima etapa, mas, eu não deixei e nós ficamos conversando até dar os sete minutos.
- Que menina inocente.

Lulu empurrou meu ombro e ri dela. “Ela só parece ser inocente.”, pensei “Só parece!”.

- Você que é um safado, Biebs.
- Eu sou mesmo e admito. Só de ver você com esse short, eu quase voei em você, se quer saber.

Luísa me olhou surpresa e riu depois.

– Nem um pouco safado!

Pisquei para ela e beijei sua bochecha. Ouvimos alguém bater na porta e a mãe de Luísa apareceu sorrindo.

– E ai, vamos comer o macarrão, garotos?
- Opa, é pra já!

Luísa riu de mim e fomos comer o delicioso macarrão da dona Sarah.
............................................................................................................................

Hey Geliebers *-* 

Como vai ser a conversa do Justin com a Selena? No próximo capítulo! ;* 

Indicações: 

Gostaram? Comentem! 
~~ 10 comentários? ~~ 

Gih 

27.4.12

#IB - The Skater Girl: 97º Parte

Mode Justin on*

Finalmente! Depois de tanto tempo tentando fazer a minha marrentinha ceder, eu consegui! Nós nos beijávamos cada vez mais e eu sentia o Jerry pulsar de vez em quando. Nossos beijos eram quentes e safados, se é que me entende. Minhas mãos, em movimentos rápidos, tiravam as roupas dela com facilidade e, como a (Seu nome) não é nada boba, também fez o mesmo com as minhas, me deixando igual a ela, só de roupas íntimas.

Sentia meu coração acelerar cada vez mais quando minha princesa ficava por cima de mim e beijava meu pescoço, quase me matando de prazer. Além de ela estar sentada bem em cima do Jerry, quase matando o coitado de vontades impróprias. Em um momento, paramos de nos beijar e ela me olhou calma, porém maliciosa.

Vidrei meu olhar em seus seios fartos e ainda cobertos pelo sutiã e sorri levemente quando abri o fecho. Rapidamente, a deitei e comecei a dar leves sugadas em seus seios, a fazendo gemer baixo e se arrepiar inteira. Apertava-os levemente e sorri ao vê-la revirando os olhos de prazer. Numa jogada rápida, ela me roubou um beijo quente demais e colocou uma de suas mãos no Jerry, ainda por cima da minha boxer preta.

“Ela não é nem um pouco santa”, pensei e rolei os olhos quando me deparei de que ela me masturbava. Segurei em seu ombro e ela tirou rapidamente minha boxer, começando outra vez. Dava para sentir as veias de meu pescoço pulsar e eu gemia baixo de olhos fechados. Logo, ela tocava-o com sua língua e mordi os lábios quando ela iniciava uma oral em mim. Eu estava quase explodindo de tesão e (Seu nome) parou, voltando a me beijar. Tirei sua calcinha e a sentei em cima de meu membro, fazendo-a “cavalgar” rapidamente.

Eu estava todo suado, meu cabelo estava colado em minha testa e olhei rapidamente para a minha pequena, que mordeu os lábios e sorriu cheia de malícia. Beijei-a rapidamente com meu membro ainda dentro dela e fui a deitando lentamente, reiniciando as entocadas e comecei a sentir meu corpo amolecer e ao meu orgasmo chegar.

Minhas entocadas diminuíram de velocidade e gozei dentro dela, gemendo baixinho. Nos encaramos cansados e ela fechou os olhos, provavelmente morta de sono. Retirei meu órgão de dentro dela e a levantei da cama, a levando para o chuveiro. Tomamos um bom banho juntos, colocamos nossos pijamas – se bem que eu durmo só de cueca mesmo e voltamos a dormir, e eu mais satisfeito do que nunca.

Já era de manhã quando acordei. Levantei e me espreguicei. Vesti uma roupa e olhei minha princesa dormir como um anjo. Sorri e saí do quarto, deixando-a dormir tranquilamente. Olhei meu celular e tinham duas mensagens de Chaz.

Hey Biebs, sem querer te acordar, mas o Scooter mandou eu te avisar que era para todos nós irmos ao lugar do show do Guns ao meio dia. Esteja pronto até lá!

Quando olhei as horas, deixei meus ombros caírem de alívio pensando que já estava na hora. Olhei a segunda mensagem e quis matar ele depois.

Vai ser bem difícil você acordar depois dos gemidos que eu escutei ontem à noite! Mas, pelo menos eu avisei. lol

“Que grande babaca, como ele ouviu?” lembrei que o quarto dele ficava ao lado do meu e dei um tapa em minha testa. “Por que os melhores amigos são os mais chatos?”, disse para mim mesmo e andei até o quarto do Chaz e do Ryan.
Bati na porta e abri-a, eles viam TV e Chaz me olhou sorrindo.

- Ê Justin maroto. Achou mesmo que iria conseguir esconder isso de mim?
- Você é um idiota, sabia? – disse, sentando em uma das cadeiras ao lado da cama.
- Como foi? – perguntou ele, sentando na cama.
- É Justin, o que você conseguiu fazer? Ela parecia tão cansada e desanimada! – disse Ryan, se juntando ao amigo.
- A (Seu nome) não resiste a isso, meus caros amigos. Ela me deixou louco ontem. – admiti.  
- Posso até imaginar! Você gemia demais!

Eles riram de mim e mostrei o dedo do meio para os dois, mas também ri com eles.

- E era eu que comecei com a história. Acho que ela se empolgou demais depois.
- Sério, agora eu quero pegar uma brasileira também.
- Ah Chaz, você não vai se arrepender se fizer isso, cara.

Rimos e escutamos baterem na porta. Vimos Caitlin e Chris surgirem na porta e entraram, sentando na mesma cama que os outros dois.

- Do que vocês falavam? – perguntou Caitlin.

Nos olhamos e sorri para ela, tentando disfarçar. É estranho falar sobre isso com mulheres que não sejam sua namorada. Até com a mãe – que seria o ideal a se falar, é difícil!

- Coisas de homem, Cait. – disse Chaz, unindo seus dedos.
- Sexo ou mulheres? – perguntou ela, esperando uma resposta.
- É... – não conseguia falar.
- Tá, só por que não responderam, já deu pra saber do que se trata. E, que eu também não sou bem-vinda, certo? Vou procurar a Pattie e vocês podem voltar a conversar sobre as transas de vocês.

“Como ela sabia?”, pensei um pouco e ela saiu do quarto. “Magia negra, é isso!”

- Como ela sabia? – perguntou Ryan.
- Sei lá, - disse Chris – mas, do que era o assunto?
- Sobre o Justin e a (Seu nome).
- Ontem os dois estavam se pegando no quarto, dava para ouvir tudo!

Chris ficou um tanto indiferente, mas, pareceu tristeza. Por quê? Os outros começaram a zombar de mim outra vez e Chris tentou se enturmar o mais rápido possível quando notou que eu reparei nele.

- Chris, a gente pode conversar rapidinho, lá fora? – perguntei e ele ficou um tanto assustado com a minha pergunta.
- Claro Justin. – ele gaguejou e saímos do quarto.

Ele parecia estar morrendo de medo de mim. Agora, eu não tenho ideia do que seja.  

- Chris, a Caitlin estava me escondendo esses dias alguma coisa com a (Seu nome). Você sabe o que é?
- Sei, quero dizer, não...
- Ah, agora você vai ter que contar. O que é?

“Se for o que eu estou pensando, eu não acreditaria no que ele fez”.

- É que eu... eu...
.........................................................................................................................

Hey Geliebers *-* 

Me desculpem por não ter postado nesses últimos dias, eu estou tendo campeonato de basquete e isso tá ocupando o meu tempo para postar. Desculpa mesmo :/ 

Quem teve biebergasm? haha' Realmente eu me superei nessa, hein. Espero que tenham gostado. E ai, o Chris vai falar do segredo dele do Justin ou vai tentar escapar? No próximo capítulo! ;* 

Gostaram? Comentem! 
~~ 10 comentários? ~~ 

Gih 

23.4.12

#IB - Believe In Everything: 22º Parte

“Minha princesa. Só minha... minha”. Era o que ele dizia ao pé de meu ouvido enquanto nos beijávamos. Dava pra sentir que aquilo iria além, mas algo me dizia que não era a hora, que não estava pronta. Me separei de Otávio e ele me olhou sem entender.

- Já não acha que deu o tempo? – perguntei, tentando quebrar o gelo.
- Só deram cinco minutos, Lulu. Temos mais dois de prazer, amor.

Ele beijou meu pescoço e levantei de suas pernas.

- Eu não quero mais te beijar.
- Como assim?
- Você sabe do que eu estou falando.
- Tá, eu paro. Mas, o que vamos fazer durante esses dois minutos?
- Quantas garotas você pegou quando eu estive fora?
- Não sei, foram muitas.

Sorri rolando os olhos e Otávio me abraçou.

- Mas, coloca uma coisa nessa sua cabecinha de nerd.
- Eu não sou nerd!
- Só me escuta, meu bem.
- Claro.

Rimos juntos e ele beijou minha bochecha.

- Eu só ficava com elas para tirar a dor da solidão, se é que me entende.
- Só está dizendo isso para parecer fofo.
- É sério! Pode perguntar pro Thiago como eram as minhas noites. Eu só pensava em você e ficava arrependido depois de ter ficado com duas ou três tentando te esquecer.
- Ainda não me convenceu.
- Como não? Quer que eu fale o que para te provar o quanto eu te amo?
- Não sei.
- Quer que eu...
- Você vai ter que parar de reclamar de mim e do Justin. – O interrompi e ele me olhou cabisbaixo.
- Mas eu não consigo.
- Não consegue aguentar três dias?
- Depende. O que eu vou ter em troca?
- Surpresa.
- Ah não!
- Ah sim. Vai ser surpresa.
- Então tá, eu paro de encher você e o Justin.
Otávio rolou os olhos e ri dele – Seu ciumento.
- Sou mesmo. – ele fez um biquinho e o selei.
- Vamos descer? Já deram os sete minutos.
- Tá bom. 

Andamos até a sala e sentamos em nossos respectivos lugares no círculo. As garotas nos olharam com olhares maliciosos e Manu apertou minha mão com um sorriso no rosto. “Desculpe por elas...”, seus olhos pareciam dizer. Dei de ombros e começaram o jogo novamente. Sinceramente, eu me sentia uma estranha no meio delas. Eram todas muito mais velhas que eu e, os hormônios afetavam mais a cabeça. Digamos que era só a “putaria” naquele círculo.

Depois de umas horas, Manu pediu para que Otávio e Thiago se retirassem, já que tudo estava saindo do controle – completamente. Otávio implorou para que eu subisse junto com eles. Ele também sentiu a tensão no ambiente e queria me tirar de lá antes que acontecesse algo comigo. Manu deixou e fui para o quarto deles.

- Obrigado Otávio, você me salvou!

Eles riram e sentei no colchão que ainda estava lá no quarto.

- Você vai dormir aqui, não vai?
- Acho que sim.
- Você acha ou tem certeza?
Ri dele e molhei os lábios – Eu tenho certeza. Aquelas garotas são... maliciosas.
- E safadas também, Luísa. – disse Thiago, sorrindo.
- O que você fez com ela, irmão?
- Coisas...

Não aguentei e ri dele. “Nem um pouco safado”, pensei, mordendo os lábios.

- Não foi nada demais!
- Pela sua cara, ela deve até ter feito sexo oral em você!
- Concordo Otávio.
- E qual o problema?

Nos olhamos e Otávio levantou da cama, pasmo.

- Não acredito.
- É sério. – disse ele, superconvencido.

“Só de pensar, já me enoja inteira!”

- Credo Thiago, você deixou aquela vadia fazer isso? – disse eu, também pasma.
- Mesmo você sendo um minuto mais velho que eu, sei lá, é estranho que você tenha feito isso primeiro que eu, e ainda com uma menina que você nem conhece direito.
- O problema é meu, Otávio.
- Eu concordo com o Otávio, Thiago. Desculpa falar, mas usar seu corpo sem amor é muita...

Não encontrava a palavra certa. Idiotice? Talvez. Mas, é bem mais grave que uma idiotice. Meu pai me ensinou que a única coisa que temos de valorizar ao máximo é o nosso corpo, já que ele é instrumento de deus. Mas, se ele preferiu assim, quem sou eu pra julgar, certo?

- “Muita” o que?
- Como você preferir chamar. Não sei a palavra certa.
Ele deu de ombros – É muito bom.
- Ah, chega de falar disso, ok?

Eles riram de mim e ficamos conversando até cairmos no sono.

Mode Justin on*

Acabei de chegar ao cinema com Kenny e Alfredo. Estava com dois pacotes grandes de pipoca nas mãos e esperando eles até entrarmos na sala de cinema. Quando sentei, senti meu celular vibrar em meu bolso. Deixei as pipocas de lado e quase as derrubei quando vi que era a Selena que me ligava. Atendi correndo e tentei me acalmar.

- Justin! Meu amor! Finalmente!
- É... finalmente.
- Estou morrendo de saudades de você, sabia? Onde você está?
- No cinema, Sel.
- Sério? Com quem?
- Com o Kenny e com o Alfredo.
- Ah, que legal.

De repente, escutei umas garotas dizerem o meu nome e me virei para elas. É muito azar você encontrar beliebers no cinema quando o seu segurança não está com você. Saí correndo, mesmo eu querendo as agradar. “A Selena vai achar estranho o modo como elas falam o meu nome, droga!”. Eu nunca vou esquecer o dia em que aquela entrevistadora brasileira falava o meu nome errado, e ainda nem conseguia falar em inglês comigo. Acho que é Sabrina o nome dela. Eu estava cansado demais e ainda tinha aquela chata para piorar tudo.

- Justin! Me dá teu autógrafo!
- Justiiiiiiiin! (pronuncia-se Justín, LOL).  
- Meu deus! – disse eu, correndo até o banheiro masculino.

Coloquei o telefone a minha escuta e vi que Selena me chamava.

- Ei amor, é, desculpa!
- Que nada Biebs, mas, porque elas estão te chamando de Justin?
- É... é que...
- Justin Bieber, onde você está?

“E agora?”, disse para mim mesmo, tentando encontrar uma solução, “Será que eu conto a verdade?”.

- Sel, é que eu estou no Brasil.
- Brasil?! Como assim? Você endoidou? É muito fora de mão!

Ela gritava no telefone. Tive até que tirar de perto do meu ouvido!

- Para Selena, é por causa de uma belieber. Você sabe como eu sou louco por elas!
- É tão louco que é capaz de ver uma brasileira quando se está nos Estados Unidos!
- É claro! Ah Sel, quer saber? Depois nós nos falamos, tá? Eu estou perdendo o filme.
- Tá Justin, depois você me liga.
- Beijo.

Selena desligou e suspirei aliviado, mas, ao mesmo tempo, me culpando de tudo. “Eu sei que é fora de mão, mas, sei lá, quando eu vi a Luísa, meu mundo virou de cabeça para baixo!”

Alfredo e Kenny entraram no banheiro e me chamaram para ver o filme. Porém, ainda tinha aquelas fãs para satisfazer. Que agora, já era uma multidão. É isso que dá esquecer-se de colocar a peruca de cabelos negros! Sorri ao pensar isso e tirei fotos com todas as “belebiebers” que chamavam por mim. Depois, ainda assisti ao filme e voltei para casa pensando como está a minha Lulu na casa dos gêmeos.
...........................................................................................................................

Hey "Gelebiebers"! hahah'

Para ambos os dois, terminaram mais ou menos bem o dia. Calma, hã? Ah, esquece. Como será essa conversa da Selena e do Justin? E o Biebs, vai ficar com ciúmes da Luísa? Só no próximo capítulo! 

Gostaram? Me avisem!
~~ 10 comentários? ~~

Gih