31.5.12

#IB - Believe In Everything: 28º Parte

Nossos beijos eram quentes. Sem falar que o Justin estava só de toalha. Suas mãos estavam em minhas costas, me pressionando contra seu corpo. Eu tinha uma de suas mãos em seus cabelos e a outra sobre seu abdômen, que era definido, muito definido.

Paramos para pegar ar um pouco. Estávamos ofegantes. Nossos olhares se encontravam e o mar caramelo de seus olhos possuía um desejo inigualável. Fechei meus olhos e deitei minha cabeça em seu peitoral. Seria errado isso ir adiante. O Justin sabe muito bem disso e eu também.
Escutamos baterem na porta e levantei do colo de Justin com um salto. Ele riu de mim e foi pegar suas roupas na mala.

- Quem é?
- O Pedro.
- Ah, entra aí.

Pedro Fellipe entrou no quarto e olhou Justin com uma cara de desconfiado e depois me olhou. Biebs pegou suas roupas e entrou no banheiro, fechando a porta.

- É verdade mesmo que vocês estão namorando?
- Só por essa semana.
- E só faltam dois dias!
- Nem me lembre. Isso é chato, sabia?
- Vou sentir falta dele.
- Aww! – abracei Pedro e ele fez uma cara muito fofa – Sinceramente, até a mamãe vai sentir falta do Justin. Mas ele prometeu voltar, então...
- Tomara que seja logo.
- É.

Ele sentou na cama e me olhou triste.

- Aconteceu alguma coisa?
- A Débora brigou comigo.
- Ah, eu mato essa... – contei até três pra não a chamar de vadia e o olhei preocupada – Por quê?
- Ela disse que eu era imaturo por não ter contado antes que o Justin estava aqui em casa.
- E o que uma coisa tem a ver com a outra?
- E eu sei? Às vezes a Débora é meio louca.

Ri dele e Justin surgiu com uma camiseta pólo preta e uma calça jeans. O olhei sorrindo e dei uns tapinhas na cama, indicando que era para ele sentar do meu lado.

- E você quer minha ajuda? – perguntei.

Justin sentou do meu lado e nos olhava atento. Ele não entendia nada, mas até que aprendeu a falar algumas coisas em português.

- Quero. Na verdade, eu queria que você falasse pro Justin que ela vai vir aqui em casa e, ela é meio...
- Fanática?
- É.
- Ah, ela é uma belieber. – olhei para Justin e ele me olhou sem entender.
- Biebs, eu tenho uma notícia pra você.
- Qual? – perguntou.
- Uma belieber vai vir aqui em casa e, ela também é namorada do Pedro.
- Uma belieber? Que legal!

Ri de Justin e Pedro me olhou sorrindo.

- Isso não vai ser um problema, vai? – perguntou ele, preocupado.
- Não! Ele achou legal. E quando ela vem?
- Amanhã.
- Ah, então ta. Era só isso? – perguntei.
- Eu também queria que você me ajudasse com um trabalho, se você puder.
- Ok, eu já vou lá, ta bom?

Pedro assentiu e sorriu para mim.

- Obrigada mana.
- De nada.

Ele levantou e saiu do quarto, fechando a porta. Olhei para Justin e ele sorriu também.

- Não sabia que ele namorava.
- E nem eu. Fiquei sabendo hoje.

Rimos juntos e deitei minha cabeça em suas pernas.

- Vou sentir saudade de você também. – disse ele, com um sorriso triste no rosto.
- Não sei como vamos conseguir viver longe um do outro.
- E nem eu. Mas eu vou tentar entrar no MSN todo o tempo que puder. Sem falar no twitter.
- É, isso é verdade. Mas, ficar sem te abraçar...

Suspirei triste e ele colocou uma mecha do meu cabelo atrás de minha orelha. Justin mordeu seus lábios e suspirou também.

- Ainda mais eu, que viciei no seu beijo. Nossa, eu vou morrer sem ele!
- Até parece né Justin. Você tem a Selena.
- Ela não é como você. Nunca vai ser. A Sel chega a ser enjoativa.
- Não fala assim dela, Justin.
- Mas eu não to mentindo! Eu já estou de cheio dela.
- Para com isso. Ela é tua namorada, cara.
- Eu sei! Mas... eu não consigo me imaginar sem você.
Nossos olhares se encontraram e respirei fundo.
- Eu também não consigo me imaginar sem você.
............................................................................................................................

Hey Geliebers *-* 

Ain, que agonia. Será que eles vão aguentar ficar longe um do outro? E como será a visita da Débora? No próximo capítulo! ;* 

Gostaram? Comentem! 
~~ 10 comentários? ~~ 

Gih 

30.5.12

#IB - The Skater Girl: 102º Parte

Fechei os olhos e tentei imaginar que tudo aquilo era um pesadelo, mas não dava. Eu sabia que ele tentaria se vingar, mas não desse jeito. Gemi baixo quando ele me mordeu e me olhou malicioso. Seu olhar tinha sim uma pontada de malícia, mas era mais por vingança. E ele também estava se aproveitando da situação.

Justin pôs sua língua quente em minha barriga e beijou-a depois. Eu queria matar ele, mas, não tinha como. Meus membros estavam incapacitados. Respirei fundo e tentei achar uma maneira de fazê-lo parar. Enquanto eu pensava, Biebs conseguia me levar à loucura. Ele já estava perto de meus seios e isso não iria acabar bem.

- Justin...
- Não adianta – disse ele, me cortando.
- Não, é que...

Ele me olhou sorrindo e o olhei com medo.

- Eu preferia algo de, sei lá, engraçado. Que tal me dar um tapa na cara ou jogar água em mim, hein?
- Prefiro te ver implorando meu nome.
- Mas eu posso implorar agora, olha. – pigarreei para limpar minha garganta e fiz uma cara de sofrida - Juuuuuuuuustin, Juustin, meu amor...

Justin me olhou rindo e sentou do meu lado, me deixando livre. Apertei minhas mãos e o olhei sorrindo, em agradecimento.

- Não pense que acabou, viu? – disse ele.
- Como assim? Vai ter mais?
- É claro. Vai ser em etapas. E, você tem que se arrumar para o show.
“Por que ele vai fazer isso?”, pensei. – Mas pra que isso? Você já me viu sofrendo, Biebs!
- As minhas beliebers vão me zoar muito, e você vai sair de boa na história? Nem sonhando.

O olhei com tristeza nos olhos.

- Você é cruel.

Sentei na cama e abaixei minha blusa. Só de pensar em que travessura ele fará comigo, não consigo nem acreditar. Justin segurou em meu ombro e me olhou sorrindo.

- Relaxa, eu não vou te fazer mal. Nunca faria isso com você, marrentinha. Não queria te deixar triste.

Sorri para ele e deitei em suas pernas.

- Tudo bem então. Mas, promete que vai pegar leve?
- É claro.

Rimos juntos e ele ficou fazendo carinho em rosto. Bem, foi uma forma inusitada de me safar. Sem mentiras, ainda mais. Com o Justin é mais fácil. Sorri ao pensar isso e escutei baterem na porta. Era meu pai.

- Garotos, vamos jantar.

Levantamos e fomos com meu pai jantar no restaurante do hotel – já que o Justin não poderia nem sair de lá sem estar escoltado por uns 10 policiais. Um tradicional churrasco brasileiro foi de bom tamanho para esses roqueiros. O Biebs também adorou a comida brasileira.

Depois todos nós fomos nos arrumar. Eu não tinha a mínima idéia do que vestir. Mexi na minha mala toda, a revirei inteira. Nada. Respirei fundo e vi que Justin sentou do meu lado, com um olhar preocupado.

- Não encontra nada pra vestir?
- Exatamente.
- Bem, eu recomendaria uma calça surrada com uma blusa preta. Ficaria legal.
- Só isso? Ah Justin, logo você que é o rei do swag me falando pra colocar uma blusa preta e uma calça surrada.
- Ficaria legal em você!
- Acha que eu vou de calça? Nem sonhando. Aqui faz muito calor, Justin.
- Mas está de noite, você nem vai sentir calor.
- Ah, é você que pensa. Quer saber? Eu me viro. Você chama o meu pai pra mim, Biebs?
- Chamo sim, já volto.

Sorri para ele em agradecimento e procurei milhões de combinações. Até que eu vi uma meia-calça bem escondida na mala e suspirei. Já tinha até montado o look na cabeça depois dessa.

Peguei uma blusa e coloquei a meia calça. Escolhi um short surrado também e o coloquei em seguida. É claro que eu não iria deixar os meus all stares de fora, mas, faltava algo. E eu não tenho idéia do que. Dei de ombros e peguei um all star na mala e o coloquei.   


Sentei na cama. Respirei fundo e encostei meus cotovelos em minhas pernas e apoiei minha cabeça sobre minhas mãos. Estava ansiosa. Muito ansiosa. Justin entrou no quarto com meu pai e eles me olharam surpresos.

- Wow – disse Justin, me olhando da cabeça aos pés –, pra quem estava em dúvida de ser vestir...
- Você está linda. – completou meu pai.
- Sei lá, eu acho que falta algo. É claro que eu vou fazer a maquiagem, mas, ainda falta algo.
- Você está igual a uma roqueira e fala que falta algo?

Justin parecia indignado. Ri dele e levantei, me olhando indiferente.

- Não tem nada demais na roupa.
- O que falta aí é a guitarra. – disse meu pai, sorrindo.

Ri dele e peguei meu estojo de maquiagem, que era bem pequeno. Não gosto muito de maquiagem. Deixei-o na frente do espelho e passei a base, o pó, depois peguei o delineador. Eles me olhavam atentos, como se quisessem aprender como se faz.

- O que é? – perguntei rindo.
- É assim que passa? – perguntou Justin.
- É...?
- Interessante.  

Revirei os olhos e continuei a passá-lo. Até que saiu bonito. Máscara para cílios, delineador e um batom vermelho, só.   

- Você nunca viu a Selena se maquiar?  
- Não!

O olhei com cara de deboche e ri depois. Olhei meu cabelo e o prendi em um rabo de cavalo solto, bem improvisado mesmo. O prendi com um elástico e o desfiei um pouco. Ficou legal.

- Bem, eu estou pronta, eu acho.
- Então vamos.

(...)

Tinha muita gente lá. Muita mesmo. Isso só aumentou a minha ansiedade. Estavam todos nós no camarim descontraídos e só eu lá, quieta. Até que meu pai percebeu. Ele sentou do meu lado e me olhou sorrindo.

- Está com medo?
- É como se fosse a primeira vez que eu fui tocar no palco. Será que eu consigo pai?
- É claro que consegue! Você é muito melhor que eu!
- Pai, tu é uma lenda, ta? É tipo um... Slash 2º!

Rimos juntos e Justin, Chaz, Ryan, Chris e Caitlin ficaram na minha frente, me olhando com um sorriso no rosto.

- Isso é suspeito.

Eles riram de mim e Justin me deu uma caixa preta com um laço dourado envolto nela. Olhei-os surpresa e fiquei de boca aberta.

- É pra você, marrentinha. Nós fizemos uma vaquinha e compramos.
- Abre aí (Seu nome), você vai gostar. – disse Ryan.

Peguei a caixa e tirei o laço e a abri. Tinha um colar escrito Skater Girl e um bracelete com uma guitarra e um skate de pingentes. Abracei todos eles de uma só vez e caí em lágrimas. Ainda bem que a maioria da maquiagem é a prova d’água.

- Vocês... vocês são incríveis!
- Eu sou mesmo. – disse Chaz, se gabando.

Rimos e dei um cascudo nele. Bem que mereceu.

- Vocês são os melhores amigos que eu poderia ter no mundo todo!

Justin me olhou sorrindo e beijei sua bochecha e encaixei minha cabeça em meu ombro. Ele secou minhas lágrimas e Axl nos chamou. A hora chegou.
............................................................................................................................

Hey Geliebers *-* 

Aw, que fofo o presente! Eu quero ): lol. Como será o show? Como será na casa da tia da (Seu nome)? No próximo capítulo! ;* 

Indicações: 

Ah, e eu só vou postar a Little Angel depois que terminar a The Skater Girl, ok? Por que vai ficar muito carregado pra mim 3 histórias de uma só vez. 

Gostaram? Comentem! 
~~ 10 comentários? ~~

Gih 

29.5.12

Prólogo - Little Angel.

Prólogo – Little Angel.


Estava deitada no meu quarto, outra vez com ele na cabeça. Depois do que aconteceu naquela tarde de quarta-feira, era como se a minha vida tivesse mudado completamente. Eu ando mais sorridente – como se isso fosse possível, mais manhosa. Além de suspirar mais. Eu não consigo entender o que anda acontecendo comigo. Só foi eu vê-lo pela primeira vez que eu estou assim? Bem, já deve ser a terceira vez que o vejo e isso é... estranho.

E o que a Sra. Stubin me disse, me fez pensar mais sobre o assunto. Não consigo tirar aquela conversa da cabeça, não consigo!

“- Os olhos dele eram hipnotizantes, Sra. Stubin. Mas ele me pareceu um pouco... observador.
- Sabia que quem olha assim, está começando uma paixão?
- Como assim, Sra. Stubin?
- Você vai saber quando for a hora.”  

“Está começando uma paixão.” Como ele, o capitão do time de basquete do West High se apaixonaria pela nerd do 10º ano?

Muita gente diz que eu sou bonita demais para ser nerd. Eu não uso mais óculos. Fiz cirurgia. Mas, antes eu usava. Não, eu não usava aparelho. Antes eu tinha mais cara de nerd, mas hoje não tenho mesmo.

Porém, eu sou nerd de qualquer forma, com ou sem óculos. E, eu não consigo ficar igual a Carol, só falando de garotos e mais garotos. Eu também falo disso, mas, não igual ela. É toda hora. É o único assunto dela. Isso é muito irritante.

E eu também não sou atirada igual às outras. Tenho nojo disso. Eu prefiro me preservar e me entregar pra quem realmente me ama a fazer isso que elas fazem. Parecem vadias loucas correndo atrás dos homens. Umas safadas, isso sim. Eu tenho sentimentos, eu me sinto usada quanto a isso.

Eu ri me lembrando do David me chamando de “complicada e perfeitinha”.

Complicada porque quase ninguém me entende. Pelo fato de eu ser nerd e ajudar os outros, a maioria dos adolescentes acha isso estranho.

Às vezes eu sou mesmo perfeitinha. Não gosto de sair muito do padrão. Sigo rotinas. Isso pode até parecer chato, mas é a minha vida. Depois que meu pai morreu em um acidente no trabalho, minha vida virou muito rotineira.

E surge isso. Um rapaz. Galinha, por sinal. Mas ele é lindo, sem dúvidas. Justin tem os cabelos loiros com um sutil tom de cobre, os olhos cor de mel e é uns centímetros mais alto que eu, nada mais que 5 cm. Além de ter bíceps definidos e, quem sabe, até um abdômen definido debaixo do uniforme do time de basquete. Ele também é muito calado e não deve levar desaforo pra casa. Deve ter pegado quase todas as garotas do ensino médio até seu 12º ano.

Justin não é o tipo de garoto que eu gostaria de ter ao meu lado, mas, o destino nos engana. Os sentimentos nos enganam. Eu nunca me imaginei apaixonada por um cara desses. Porém, olha eu aqui. Passando horas, abraçada com o travesseiro e pensando naquele canalha que deve estar com outra enquanto eu o descrevo em pensamento.

Ah, e um detalhe importante. Eu achei fofo quando ele me chamou de Angel perto dos amigos dele. Meu nome é Angela, mas pode me chamar de Angel, se quiser.

****

Está ai o que pediram, o prólogo de Little Angel. Espero que tenham gostado! 

Bem, agora abre a enquete: vocês querem que eu poste ela? Yes or no? Comentem! Faz bem pro coração da autora... lol  

Beijos ;* 

Gih

#IB - Believe In Everything: 27º Parte

- Ah, finalmente em casa. – suspirei e me joguei no sofá da sala.

Justin riu de mim e sentou ao meu lado.

- Você não agüenta nem uma tarde de autógrafos. Como quer ser cantora desse jeito?
- Você é um chato.

Rimos juntos e levantei, sentando do lado dele e encostando minha cabeça no ombro dele. Sorri sem graça e Justin beijou minha bochecha.

- Mas foi divertido, não é?
- Foi sim. – suspirei de novo e mordi meus lábios.
- É... o que vamos fazer agora? – perguntou Justin.

O olhei surpresa e arqueei as sobrancelhas.

- Eu quero um banho quente e dormir na minha cama e você me diz isso?
- Você é muito preguiçosa.
- Sou mesmo.
Rimos juntos e ele levantou do sofá – Bem, se quer tomar um banho, vamos subir.
- Tá bom.

Ele pegou em minhas mãos e me ajudou a levantar. Subimos juntos e sentei na minha cama, exausta.

- Não ia tomar banho?
- Não posso nem ficar de preguiça na minha cama, Biebs?
- Eu que achava que você era super elétrica.

Ri dele e levantei. Andei cambaleando até o banheiro e só escutei as risadas dele atrás de mim.

- Seu idiota – mostrei minha língua pra ele e ri depois.

Entrei no banheiro e tomei um banho de limpar corpo e alma. Estava muito cansada, realmente. Nunca lidei com uma multidão de meninas atrás de mim, me pedindo autógrafos. E o pior era que elas quase nos atacaram. Aquela correria toda me matou. Me enrolei na toalha e vi que Justin estava lendo minha #IB.

Ri dele e me troquei, já que ele estava super vidrado na história. Coloquei um blusão e um short por baixo - minha mãe me mataria se eu ficasse sem um por baixo – e sentei na cama. Nem tinha me lembrado das lições de casa, mas não estou a fim de fazê-las.

Justin não desgrudava nem um pouco de lá. Parecia até hipnose. Isso me assusta. Como ele, logo ele, gostou da minha história? Jesus. É sorte demais. Sorri ao pensar isso e peguei meu celular. Já eram 19hs e eu estava varada de fome. Levantei e cutuquei Justin, que me olhou sorrindo.

- Quer ler comigo, Lulu?
- Eu ia perguntar se você estava com fome.
- Ah – rimos juntos e ele me puxou, me fazendo sentar em seu colo. – Na verdade, eu queria outra coisa.
- O que? – perguntei.

Justin sorriu e me deu um selinho demorado. Ri dele e repousei minha cabeça em seu ombro. Escutamos baterem na porta e mandei entrar.

- Filha, o Pedro acabou de chegar.
- Ah, que bom.

Minha mãe me olhou como se quisesse que eu saísse dali e fosse cumprimentar meu irmão.

- Justin, já volto.
- Tá bom Lulu.

Desci do colo dele e saí do quarto.

- Cadê ele?
- Lá em baixo.

Andei até a escada e vi o pentelho do meu irmão encostado na parede e – surpreendentemente, com roupas novas. Graças a Deus.

- Peeeeeedro! – gritei, descendo as escadas.

Ele me olhou assustado e o abracei forte.

- Seu sumido, esqueceu que tem irmã?
- Não...?

Ri dele e ele me abraçou de volta.

- Está com roupas novas, é?
- Já que você pediu que eu mudasse, eu comprei umas novas.
- Ainda bem. Você ta mais gatinho, sabia?

Rimos juntos e mordi meus lábios, muito alegre.

- E ai, como foi na casa do Túlio?
- O pai dele é legal.
- Bom saber. Vocês saíram muito? Pegaram umas gatinhas?
Ele riu de mim e começamos a subir as escadas – Até que não... ele pegou muitas.
- E por que você não?

Pedro sorriu para mim e entramos no quarto dele.

- Eu... eu posso te falar uma coisa, mas você promete não contar pra mãe?
- Claro! Eu juro solenemente que não vou falar.

Meu irmão riu de mim e sentamos na cama dele.

- Eu to namorando.

O olhei surpresa e cobri minha boca com minhas mãos.

- E quem é a sortuda? – perguntei enquanto ele ria da minha reação.
- Ela se chama Débora.
- Como ela é?
- Morena, tem os olhos verdes, simpática...
- E os beijos dela? Como são?
- Muito bons.

Ri dele e minha mãe bateu na porta.

- Pedro, você não quer jantar?
- Ah mãe, eu quero.
- E você, filha?
- É claro.

Rimos e fomos para a cozinha. Eu fui chamar Justin, é claro. Jantamos, conversamos muito e rimos também. Depois, foi a vez de o Justin tomar um banho. Eu tentava pensar em algo para escrever enquanto ele não iria me perguntar mais e mais. Já estava na segunda página quando escutei ele me chamar.

- Lulu, pega uma toalha pra mim?

Levantei e peguei uma toalha no armário. A porta estava escorada e deixei a toalha em cima da pia. Voltei para o computador e me concentrei de volta na história. Estava na parte em que o Felipe contava para a Maggie que o Justin tinha brigado com a Morgan por causa dela. O Justin não leu até essa parte. Sorri e senti um assopro em meu pescoço.

Arrepiei-me inteirinha e quase pulei da cadeira de susto. Que droga, todo mundo adora fazer isso comigo.

- Você quer me matar? – perguntei.

Justin riu de mim e beijou minha bochecha. - Desculpa Lulu, não era essa a minha intenção.

Ele fez um biquinho muito fofo e ri dele.

- Seu bobo. – apertei a bochecha dele e Justin olhou para a tela, curioso.
- Está escrevendo a história?
- Estou sim.
- Em que parte você está?
- Em uma que você não leu ainda.
- E você pode traduzir pra mim?
- Não senhor, você não chegou nela ainda.
- Aah Lulu, por favor!

Neguei e notei que ele estava de toalha. Ri dele e Justin me olhou malicioso.

- Se não contar, eu vou te beijar até você dizer que vai.
- Como se eu fosse me render, né?
- Então você quer que eu te beije?
- Não seria má idéia.

Rimos juntos e ele me levantou, me puxou pela cintura e me beijou. Justin foi me empurrando até a cama e caímos juntos, ele sobre mim. Sério, eu acho que ele ficou meio safado depois desse banho. Biebs segurou em minha cintura e colocou suas mãos por dentro do meu blusão, e eu segurava em sua nuca, sentindo seus cabelos molhados entre meus dedos.

As mãos dele acariciavam meu abdômen, me arrepiando muito. E, como se não bastasse, sua boca foi para meu pescoço, mordendo ele de leve.
............................................................................................................................

Hey Geliebers *-*

Bem, eu vi os comments de vocês no Aviso e, eu vou tentar postar um prólogo, só vou esperar a poeira abaixar aqui em casa, ok?  (:

Justin safado, lol. E ai, o que o Justin vai fazer com ela? No próximo capítulo ;* 

Gostaram? Comentem! 
~~ 10 comentários? ~~

Gih 

26.5.12

Aviso *--*

Girls,


Podem relaxar, dessa vez não é coisa ruim. Isso aqui é mais uma enquete, se querem saber. 


Eu queria saber de vocês uma coisa. Depois que eu terminar a The Skater Girl, vocês querem que eu fique só com a Believe in Everything mesmo ou poste outra? 


Eu estou em dúvida disso. Mas, se vocês preferirem, é claro que eu posto outra. E, por incrível que pareça, eu já tenho uma em mente. Se eu for mesmo postar outra, ela vai se chamar "Little Angel" e vai arrasar. Tenho certeza. 


Bem, agora é vocês que decidem! Querem outra #IB ou não? 


Obrigada pela atenção, rs. 


- Gih.

#IB - The Skater Girl: 101º Parte

Elas quase se matavam só de ver o Justin. Particularmente, eu também me mataria. Sorri ao pensar isso e elas começaram a gritar meu nome também. “Fofas”, pensei. Eu não me importaria se elas só gritassem pelo Justin. Ele é o centro das atenções e não eu.

Por trás de nós, surgiram Scooter e Kenny. Eles também acenaram e as braziliebers gritaram muito mais ainda. O Kenny diz que as brasileiras têm uma fascinação por ele. Elas gritavam “Kenny lindão” e eu comecei a rir. Mesmo eu tendo ficado muitos anos afastada do Brasil, o meu pai sempre me dava umas aulinhas, caso eu quisesse voltar. Justin me olhou curioso e só pelo olhar dele, deu pra perceber que ele não entendia nada do que estava acontecendo ali.

- Elas estão chamando o Kenny de lindo, Biebs.
- Ah, e como se diz isso?
- Kenny lindão? (falando em português)
- É... Kenny lindaum... (sotaque bem estranho do Justin, LOL)

Ri dele e Scooter pediu para que nós saíssemos da sacada. Justin fez uma carinha de cachorrinho que acabou de cair da mudança e ouvimos o “Aww” bem longo depois. Todos nós rimos e nos despedimos das beliebers. Era uma dó deixá-las lá, mas o Justin não tinha culpa, e sim o Scooter.

Scooter, Kenny e Justin saíram. Eu tive de ficar para falar do show, já que o Scooter insistiu.

- Beliebers, vocês vão ao show do Guns? – eu gritei.

Todas ficaram em silêncio. “Ah, eu sabia da reação delas”, pensei.

- Vou refazer a pergunta. Beliebers, vocês vão me ver tocar no show do Guns? – sorri calorosamente e elas ficaram em silêncio, outra vez.

Senti-me um lixo total. Se fosse o Justin falando aqui, elas gritariam um “sim” bem alto e forte.

- Desde quando você fala português? – uma delas gritou.

Olhei para a multidão e pensei um pouco. “Nem eu estou mais entendendo isso”, pensei.

- Eu sou brasileira! – gritei de volta.

Todas elas se olharam e começaram a comemorar. Mordi meus lábios e me encostei-me às barras que protegiam a sacada.

- Mas, vocês vão me ver tocar?

Eu queria ter certeza de que elas me odeiam ou me amam, sei lá.

- Sim!

Sorri quase morrendo de felicidade e abaixei minha cabeça, sem graça. Elas começaram a gritar meu nome outra vez e mordi meus lábios.

- Bem, agora eu tenho que ir. – admiti, ainda querendo ficar lá com elas.

Todas gritaram um “Aaah” super decepcionado. Acenei como um “Tchau” e elas acenaram também. Entrei de volta no quarto e Justin sorria para mim. Elas começaram a gritar novamente e sorri também.

- Parece que elas gostam de você.
- Pelo simples fato de eu ser brasileira.

Ele me olhou confuso e ri dele.

- É porque todas as beliebers têm a sua rivalidade de país. Mas com a do Brasil é maior. Você nunca reparou nisso?

Justin negou com a cabeça e sentei do lado dele.

- Só na Argentina, as chichas ficam fervilhando de raiva das braziliebers porque o Brasil é mais amado. A Demi Lovato ama o Brasil. O Guns ama o Brasil. A Rihanna ama o Brasil. Você ama o Brasil.
- Ah, entendi. – a clareza tomou os olhos dele e ri da careta que ele fez – Por isso que elas ficaram felizes?
- Acho que sim. Você vai ver, no twitter vai ter a maior briga da história porque eu sou brasileira. Elas vão ficar se gabando e as outras morrendo de inveja.

Justin caiu na gargalhada e rolei os olhos.

- Não perco isso por nada!

Ele pegava seu iPhone e já entrava no twitter.

- Você é muito chato.
- Por quê?
- Por que você devia apoiar as braziliebers, e não querer mais briga.
- Mas eu gosto de todas. Não posso apoiar uma, sabendo que as outras vão ficar com ciúmes. Além disso, eu amo o Brasil.
- Por isso mesmo! Você deveria demonstrar esse amor, mas sem deixar tanta rivalidade.
- Como eu faço isso?
- Sei lá, posta alguma foto no Twitter, Instagram, Facebook... como preferir, de você no Brasil.
- Parece que você já fez isso, não é?
- Hã?

Justin me olhou com as sobrancelhas arqueadas e me mostrou a foto dele dormindo na minha twitpic. “Caramba, tinha até me esquecido disso!”.

- Eu, eu não tinha nada...
- Vem aqui, sua brasileira atrevida.

O olhei rindo e corri dele pelo quarto. Era uma caçada incessante de cão e gato, e nesse caso eu era o gato. Eu ria muito, e ele também. Justin vai querer se vingar de mim, e isso é fato.

- Ah, você vai ter o que merece, (Seu nome).
- Por favor, não, Justin!

Não sei por que eu implorava, mas era automático. É claro que ele vai querer se vingar. De uma hora para outra, eu parei para respirar. Estava sem fôlego algum. Um erro fatal. Justin me pegou pela cintura e me rodou, até cairmos na cama juntos.

Estávamos ofegantes. Fechei os olhos e comecei a rir, sem parar. Justin me olhou confuso e mordeu minha bochecha, depois meu pescoço, orelha e já estava em cima de mim, me olhando como um predador.

- Vai fugir de novo, marrentinha?
- Por que eu fugiria? Eu sei que você não tem coragem de fazer algo comigo.
- Você que pensa.

Um sorriso maligno surgiu no rosto dele e mordi meus lábios. O clima era tenso. O olhar dele estava vidrado no meu e se aproximava cada vez mais.

- Vai recuar?

Sua voz era rouca e um tanto sexy.

- Acha que eu faria isso?

O olhei com uma de minhas sobrancelhas erguidas e Justin molhou seus lábios.

- Depende. Do jeito que você é, nem eu sei mais.

Ri dele e virei meu rosto, olhando para a porta de vidro da sacada. Não havia mais gritos. Mordi de leve meus lábios e senti a respiração de Justin em meu pescoço. Na verdade, ele assoprava meu pescoço. Isso me deixava toda arrepiada. Toda arrepiada. Já percebi o que ele quer fazer.

Tortura.

Justin passou suas mãos em meu braço, sentindo meus pelos eriçados e o amaldiçoei em pensamento. Ele sabe meus pontos fracos como ninguém. Justin sorria travesso e senti que eu estaria perdida em questão de segundos.
Seu olhar estava preso em minhas mãos, que agora estavam sobre meu abdômen, e rezei para que ele não fizesse o que eu pensei. Justin tirou-as de cima de minha barriga e, lentamente, levantou minha blusa. Merda. Como ele leu meus pensamentos?

Ele beijava meu abdômen.

Queria matá-lo, mas quando ele sentiu que eu iria fugir, segurou forte em meus pulsos e não me deixou escapar. Outra vez, estava arrepiada. Que droga, ele não vai parar.
............................................................................................................................

Hey Geliebers! Voltei! 

Meu Deus, que emoção! Não via a hora de voltar! vocês não tem noção do que é ver o meu blog parado, sem poder postar. Porém, finalmente eu consegui! Escapei da minha mãe, e vou deixar vocês bem curiosas. LOL

E essas 501 mil visualizações? É o melhor presente de boas-vindas que eu poderia receber! Muito obrigado mesmo, Geliebers! Love yall 

O Justin vai "matar" a (Seu nome), coitada. Como será o show do Guns? E esse clipe que não lança? Só no próximo capítulo! ;* 

Indicações: 

Eu recomendo esse blog, muito bom! Beijos, Gaby! 

Gostaram? Comentem! 
~~ 10 comentários? ~~ 

Gih