29.6.12

#IB - The Skater Girl: 108º Parte

Acordei com o sol refletindo em meu rosto e vi que minha pequena estava abraçada a mim, com sua cabeça em meu peitoral. Estávamos descobertos, o cobertor foi parar no chão, porém não senti frio. Aqui no Brasil é muito quente. Minha marrentinha estava só de blusa e, deixando suas pernas brasileiras à mostra. Sorri levemente e acariciei-as, deixando-a arrepiada.

Vi que ela moveu seus lábios lentamente e os mordeu. Sorri malicioso e mordi os meus também. Não queria levantar e acordá-la. Fiquei brincando com seus cabelos, como de costume até ela acordar.

Nunca mais quero me separar dela. Nem que eu vá para a China, ela vai ter que ir comigo. Porque ela é o meu refúgio. A única que me acalma e me deixa louco ao mesmo tempo. Só os beijos dela me curam. Só o abraço dela me conforta. E o da minha mãe, claro. Sorri ao pensar isso e (Seu nome) se mexeu. Tirou seus braços em volta de mim e deitou de bruços, deixando seu rosto virado para o meu.

Olhei para o rosto angelical dela e beijei sua testa. Levantei, tomei um banho e fiz minha higiene matinal. Coloquei um bermudão de surfista e sequei meu cabelo com uma toalha. Sentei na cama e peguei meu celular. Entrei no twitter. 24 milhões de followers! Meu Deus!

Como eu amo os meus fãs! Agradeci pelos followers e disse que amava todas elas. Segui algumas fãs e fiz o dia delas. Depois, deixei ao lado dela outra vez e fiquei admirando-a, sem fazer nada. Só olhar para a minha garota, que eu sempre amei desde o primeiro dia que a vi. Tão entranho, porém tão decisivo.

Nunca pensei que tudo isso iria acontecer. Que iria me apaixonar por ela. Mas o coração engana. E não era qualquer garota. Pensa numa garota marrenta, osso suro de roer. Era a (Seu nome). Marrenta, skatista e marrenta de novo. Mas, por trás disso, tinha uma menina carente e machucada. E eu consegui conquistá-la, e somos o que somos hoje. Quem sabe, daqui alguns anos, nós não nos casamos? Seria lindo vê-la de branco e com um boné ao invés de um penteado.

Até lá, acho que ela irá deixar esse lado “skatista”. Mas, quem sou eu pra dizer o que ela irá se tornar? Bem, como namorado dela, eu queria ter dois filhos com ela e deixar a minha carreira de lado por um tempo só para dar atenção a eles. E dar atenção a minha mulher também.

Sorri. Seria um futuro muito bom. Perfeito.

(...)

- Ah Biebs, vamos lá, por favor.
- Você ainda está de pijama e quer tomar banho de piscina?
- Eu troco de roupa, né.
- Vamos mais tarde, o sol vai estar mais forte.
- Tá bom, você me convenceu. 

Vi ela revirar os olhos e sorri, abraçando ela forte. Almoçamos, (Seu nome) trocou de roupa e nós fomos para a piscina. Eu, ela, Theo e Carol também. Minha mãe e o Marcos tinham saído, Scooter tinha ido ver seu sobrinho e Alfredo ficou conversando com Andressa. Chaz, Ryan, Cait e Chris foram visitar a cidade com o Kenny, não iria deixar eles sem segurança, nem sonhando.

Enfim, ficamos só nos 4 na piscina. (Seu nome) e Carol estavam se bronzeando enquanto eu e o loiro descarado fomos fazer uns sucos para elas. Bem, só ele estava fazendo, eu não sei fazer nada direito.

- Você não sabe colocar elas no liquidificador e bater?
- Nem quero tentar, vou acabar quebrando tudo.

Theo riu de mim e continuou a fazer tudo. Senti-me um tanto humilhado por ele, mas só um pouco.

- Justin, você tem muita sorte.
- Por quê?
- Cara, você namora a menina mais inteligente e adorável que eu conheço. Se ela não fosse minha prima, eu já tinha até feito um quarto aqui em casa só pra ela.
- Eu me sinto sortudo mesmo. Sei lá. Era tudo tão confuso, ela me odiava, mas eu a amava demais. Até que deu nisso.
- Ela te odiava?
- É, acredite se quiser. Por causa da minha ex-namorada.
- Ah, aquela tal Selena?
- Ela mesma. Mas foi por uma bobagem. Nem gosto de falar sobre isso.
- Então tá. Mas... o que você fez pra ela gostar de você?

Ri dele e sentei em uma cadeira.

- Theo, eu tenho meus segredos. Mas, é só olhar pra mim. Todas ficam... encantadas.
- Então somos dois.

Rimos juntos. Na verdade, nem eu sei o que eu fiz. Foi o destino que nos deu um empurrãozinho. Valeu destino!

- Todas me amam, cara. Essa amiga da (Seu nome), a Carol, já namorei ela por dois meses. Depois, ela não agüentou ficar comigo porque eu saia todas as noites e ia pro bar.
- Você já bebe?
- Não, mas era pra pegar as gringas mesmo. Uma mais tonta que a outra.

Ele gargalhou e assenti. Esse é um tipo galinha que eu não gostaria de ser, nunca.

- Theo, as mulheres têm sentimentos, cara. Por que você fez isso com ela?
- Ah, não sei. Não sou cara de ficar com uma só.
- Hm, eu entendo. Mas era só não ter assumido compromisso!
- Ela que quis. Como eu iria negar para uma morena daquela? 

- É mesmo. A (Seu nome) tem muitas amigas bonitas. Mas, eu só tenho olhos para a minha marrentinha.
- Você é muito certinho, Bieber. Tem que parar com isso.

Ri dele e dei tapas em suas costas.

- Não tem como parar, Theo. Ela é a minha mulher. É pra vida toda.

Ele concordou e terminamos os sucos. Quero dizer, ele terminou os sucos. Demos para as meninas e sentei na cadeira da minha pequena.

- Está bom?
- Nossa, uma delícia! Foi você que fez?
- Quem dera.

Rimos juntos e ela sentou a minha frente.

- Não quer provar?

Dei de ombros e tomei um pouco. O Theo tem talento pra essas coisas, deveria ser... barman.

- Está bom mesmo.
- Viu? – ela sorriu e beijou minha bochecha – E sobre o que você e o meu primo falaram lá dentro?
- Coisas de homem.
- Ah, futebol e sexo. Espera, esqueci as mulheres. Quem dessa vez? As irmãs Kardashian?
- Nossa (Seu nome)! Você acha que eu estava falando disso?
- Sei lá, não sou uma mosca pra ficar lá e ouvindo a conversa de vocês.
- Sabe do que eu falei?
- Do que, Biebs?
- Do quanto eu te amo, de como eu sou sortudo por ter você comigo. Por perguntar pro seu primo. Foi ele que tocou no assunto. E eu me sinto lisonjeado de ter você comigo, sempre me senti assim.
- Aw Justin, você quer me matar, é? Que fofo!

(Seu nome) deitou sua cabeça em meu ombro e ambos sorrimos. Sério, eu amo essa garota, demais.
...........................................................................................................................

Hey Geliebers! *-* 

Simplesmente fofo esse final de capítulo! s2. 

Girls, próximo capítulo será o final, ok? Prepara coração! E relaxem, não tem nada de (Seu nome) grávida, casamento. É um final totalmente diferente. Espero que gostem! 

Indicações: 

Gostaram? Comentem! 
~~ 10 comentários? ~~

Gih  

28.6.12

#IB - Believe In Everything: 33º Parte

Mode Justin on*

1º de Março – mais conhecido como: meu aniversário.

Acabei de acordar e sentei na cama. Agradeci a Deus por mais um dia e por tudo estar dando certo, minhas músicas estarem perfeitas e pedi para que conseguisse falar com ela hoje, pelo menos hoje.

Já vi que terei um dia bem atarefado hoje, mesmo sendo meu aniversário. 18 anos, cara. Estou ficando gagá. Pulei da cama e tomei um banho quente e relaxante. Quando voltei só de toalha, minha mãe, Scooter, Kenny e Alfredo entraram no quarto e minha mãe tinha um bolo nas mãos.

É claro que eu fiquei vermelho quando eles entraram e eu estava daquele jeito, mas, eles cantaram parabéns pra mim mesmo assim e, depois que me troquei, fomos cortar o bolo.

- O JB está tomando jeito agora. – disse Kenny, me dando tapas nas costas.
- Meu bebê cresceu tanto, virando um homenzinho.

Minha mãe tinha lágrimas nos olhos. Corri até ela e a abracei bem forte, até rodei-a no ar.

- Mãe, mesmo eu tendo 18 anos agora, eu não vou deixar de ser seu filhinho.

Os olhos dela brilharam quando disse isso e beijei sua testa. Agora já sou mais alto que ela e, é fofo abraçá-la. Todos disseram “Aww” e ri depois. Será um dia longo.

(...)

- Não acredito que você me deu um Fisker, Scooter!
- Eu e o Usher, Justin.
- Isso é incrível!

Suspirei e olhei para o Fisker, já depois do programa da Ellen. Estávamos no hotel, mais precisamente, na garagem dele e vendo o meu carrão novo.

- Justin, mudando de assunto, eu liguei pra Luísa e...
- Quando você ligou? Ela tá bem? Droga, eu devia ter ligado, eu sou um id...
- Relaxa, Justin!

Eu tinha interrompido ele e, falei sem parar, as palavras saltavam da minha boca. Eu devia ter ligado! Sou muito burro! Revirei os olhos e ele me segurou pelos ombros.

- Cara, não vou mentir pra você.
- Ela tá bem, Scott?

Ele negou depois de hesitar por um segundo e senti meu mundo desabar. Minhas pálpebras pesaram e minha visão ia ficando preta lentamente.

- Justin, ela estava horrível no telefone. Dava pra perceber que chorava, mas ela negou mesmo assim. Eu tinha ligado pra falar que nós iríamos começar a vender a música de vocês dois no iTunes e acabou que ela desabou de tanto chorar enquanto falava comigo.
- O... que-ela... disse? – as palavras nem saíram direito da minha boca.
- Que não agüentava mais ficar sem você.

Agora sim, meu mundo acabou. Fechei os olhos e segurei nos ombros de Scooter e, apaguei.

(...)

Mode Justin off*

Amanhã já é aniversário dele e, eu não posso abraçá-lo dizendo “Parabéns, meu amor”. Ou acordando ele com um beijo de bom dia. A Selena que irá fazer isso no meu lugar.

Já era tarde e dava pra ver o pôr-do-sol pela janela do meu quarto. Estava abraçada com um travesseiro e com as costas na escrivaninha, com o pensamento longe. E as lágrimas, delicadamente, trilhando um caminho gelado em meu rosto.

A janela estava aberta e uma leve brisa entrou, fazendo meu cabelo esvoaçar. Respirei fundo e olhei para a janela do quarto dos meninos e lembrei que eles tinham aula de violão hoje.

“Devem estar na aula agora”, pensei. Molhei os lábios e pensei no que o Biebs estaria fazendo agora. Por isso a distância é tão dolorosa, ninguém tem idéia do que o amado poderia estar fazendo enquanto está longe dos nossos olhos. Talvez estivesse beijando mais a Selena na frente daqueles malditos
paparazzi.

Ou, bem no fundo, pensando em mim. Quem sabe? Pode até ser, mas, são pequenas as chances. Ele não liga mais pra mim mesmo. Escutei meu celular tocar e peguei-o do meu lado. Atendi. Era Scooter. Scooter?!

- Oi Luísa!
- Ah, oi Scott...
- Tudo bem?
- Estou sim.

Um silêncio chato tomou nós dois. Eu não queria falar, só de ver o número dele aqui me deu vontade de chorar. Vontade não, as lágrimas já desceram na hora.

- Eu queria te avisar que, sexta feira, a música de vocês vai ser lançada para compra no iTunes.
- Ah, que ótimo! Não via a hora de isso acontecer.
- Eu também. Ela será um sucesso.
- Concordo.

Novamente, o silêncio dominou a ligação. Até que não resisti em perguntar.

- E o Justin? Como ele está?
- O Biebs? Ah, ele tá trabalhando no CD dele... você sabe. E agora ele foi tomar uma ducha, está cansado.
- Mas... como ele tá, Scott?

Deu pra ouvir que ele respirou fundo depois que disse aquilo.

- Espera.

Escutei um barulho de porta se fechando e mordi meus lábios.

- Não vou mentir, Luísa. Mesmo ele escondendo de todo mundo, dá pra ver que ele tá triste.
- Por minha causa?
- É. Ele não para de falar em você quando está comigo. Mas, como ele não pode falar perto da Selena...
- Eu entendo.

Não acredito. Ele... ele tá triste por minha causa? Será que ele também tá sofrendo? E se for só mentira do Scott? As lágrimas caíam mais rápido e deixei escapar um soluço. Droga, não devia ter acontecido isso.

- Lú, você está chorando?
- Não Scott, eu, eu to bem.
- Não chora Luísa, por favor.

Aí que eu chorei mais. Desabei no telefone. Até tinha esquecido que eu gastaria todos os créditos dele se não parasse de ser escandalosa.

- Desculpa Scott, eu não...
- Luísa, se você precisar desabafar, eu estou a todo ouvidos.
- Sinceramente, eu preciso, mas, eu vou tomar todo o seu tempo, gastar seus...
- Não senhora, pode falar!

Sorri sem graça e sequei meu rosto.

- Obrigada Scooter. Você é como um pai pra mim.

Escutei ele dar uma risadinha e ri também.

- Eu não consigo parar de pensar no Justin. Faz dias que eu não como. Só algumas vezes, como forçada. Meu apetite sumiu. Minha fome sumiu. Além de eu nem conseguir engolir nada.
- Mas você precisa comer! Assim você vai virar um palito, Luísa!

Ri dele e me ajeitei na cama.

- Eu sei, mas eu não consigo Scott. E eu também não consigo mais cantar. Só chorar, chorar...
- Se você quiser, eu pago umas passagens pra você vir pra cá.
- Não! Nunca vou deixar você fazer isso. Nem era pra ter acontecido tudo aquilo entre eu e o Justin.
- Ele também não para de chorar.
- Hã?
- Quando Justin fica sozinho, dá pra ver que ele fica chorando e, provavelmente, pensando em você. Ele nunca chora.

Senti meu coração doer. Não queria deixar ele assim.

- É tudo minha culpa, eu sou uma idiota.
- Pare de se culpar, Lú. Não é culpa sua que esse amor desabrochou em vocês dois.
- Mas não deveria acontecer!
- Se fosse pra não acontecer, não teria passado de uma simples relação profissional. Mas passou. E foi muito além de amizade e negócios.
- Tão além que nos deixou assim.
- Eu, eu não sei o que te dizer. Ah, Luísa, eu tenho que desligar. O Justin acabou de sair do banheiro e, não quero que ele veja isso.
- Tudo bem, Scott. Manda um abraço pra todo mundo?
- É claro. Até mais, Luísa.
- Até Scott.

E ele desligou. Respirei fundo e mais lágrimas caíram. Até quando vou conseguir suportar tudo isso?
............................................................................................................................

Hey Geliebers *-* 

Como o Justin vai ficar? O que o Otávio irá aprontar? E a Luísa, vai conseguir suportar toda essa dor? No próximo capítulo! ;* 

Gostaram? Comentem!
~~ 10 comentários? ~~ 

Gih  

26.6.12

#IB - The Skater Girl: 107º Parte

Gente, isso aqui é serio. Eu, logo eu, fui ter crises de criatividade fugitiva e, não tenho a mínima ideia de como terminar a #IB. Deixem finais nos comentários, por favor, quem sabe você me inspira? E relembrando, logo depois dessa, vem a Little Angel

Bem, era só isso. Aí está a #IB, espero que gostem. 

------------------------------------------------------------------------------------

Mode Justin on*

Estava sentado na varanda da casa da Andressa e olhando para o tempo. E entediado. A (Seu nome) saiu com o primo dela e com aquela garota e se esqueceu de mim.

Esqueceu de mim!

Na verdade, ela achou melhor eu não ir porque as garotas iriam me atacar e, mesmo com capuz, óculos escuros e, sei lá, até com bigode, alguém me reconheceria. Ou era só uma desculpa pra ficar com aquele priminho idiota dela.

- Ah Justin, eu não quero que alguém te reconheça, meu amor!
- Mas eu queria ir lá primeiro!
- eu sei que você quer ir na 25 de março, mas a Carol me chamou e, eu me preocupo muito mais com você do que comigo.
- Como assim?
- Eu até posso ser atacada pelas beliebers, mas, com você o estrago seria maior. Até de bigode eu consigo te achar no meio de uma multidão.
- Você é minha namorada, (Seu nome).
- Mas eu já fui belieber, esqueceu? E ainda sou. Eu te acharia no meio de uma multidão de gente e até de barba e bigode, então, não reclame.
- Mas...
- Não começa. É rapidinho Biebs, por favor.
- Tá, tá. Vai logo.

Nossa, ela foi tão rápido que já tem mais de uma hora que saiu e não voltou. E se alguém ficar cantando a minha marrentinha enquanto eu estou aqui? Ou se o Theo der em cima dela? Se ele fizer isso, eu juro que mato aquele loiro descarado.

- Eu mato ele.
- Justin? Falando sozinho?

Olhei para trás e vi Scooter sorrindo sapeca. Revirei os olhos e neguei rindo.

- Não Scott.
- Já sei o que te deixou doido a esse ponto.
- Hã?
- Está com ciúmes da (Seu nome) com o Theo.
- Não estou não!
- Está sim.
- Não.
- Nem adianta negar, dá pra ver nos seus olhos. E você também está entediado. Isso já demonstra.
- Não é verdade.
- Relaxa cara, o Marcos não te garantiu que ele não faria nada com ela?
- Não confio na palavra do Theo.
- Você não confia na palavra do teu sogro?

Respirei fundo e cocei minha cabeça.

- É claro que eu confio, mas...
- Sempre tem um “mas”, não é? Fica tranqüilo Biebs, não vai acontecer nada demais.
- Ela vai chegar abraçada nele, eles vão estar rindo e eu bufando de raiva. O que mais você quer?
Scooter riu de mim e colocou uma de suas mãos em meu ombro.
- Você é um ciumento de carteirinha, JB.
- Sou mesmo. Tenho que cuidar do que é meu.

Ele voltou a rir e vimos o portão abrir. (Seu nome) estava com muitas sacolas nas mãos e Theo também. Ele segurava na cintura dela e senti meu sangue ferver. Minha marrentinha tinha um sorriso lindo no rosto e veio até mim, deixando as sacolas e o loiro de lado.

- Biebs, você não acredita no que aconteceu!

Ela sentou no meu colo e beijou minha bochecha. Sorri abobado e a olhei curioso.

- O que aconteceu?
- A dona da loja me deu um desconto de 50% só porque sou sua namorada. Isso foi...
- Estranho e, muito estranho.

Rimos juntos e Theo levou as sacolas para o quarto dele. Sorri vitorioso e (Seu nome) me abraçou.

- Eu comprei umas coisas pra você.
- O que?
- Um casaco do Brasil, oficial, e tem “Bieber” atrás.
- Wow, que... incrível! Onde ela está?
- Lá em cima.
- Eu quero...
- Não, depois.
- Por quê?
- Porque eu tenho contas a acertar com você.
- Como ass...?

Depois eu entendi as contas que ela tinha a acertar. Minha princesa tomou minha boca e me beijou loucamente. Sim, eu amo demais minha namorada. Enquanto eu pensava que ela estava com o primo dela, olha ela aqui, me deixando, simplesmente, louco.

(...)

- Adorei! É lindo, meu amor!
- Eu sabia que iria gostar.

Olhei-me no espelho e vi o verso do casaco. Tinha mesmo “Bieber” atrás e, era de verde. O casaco em si era todo amarelo e tinha mais uns detalhes em verde. Era muito lindo o casaco.

- E cadê o seu?
- Ah, eu já tenho uma camiseta.
- E onde ela está?
- Na minha casa?
- É mesmo. Eu sou um burro.

Rimos juntos e a abracei. Bem na hora, Theo e meu pai apareceram e beijei a bochecha da minha marrentinha. É claro que foi por ciúmes, duh.

- Sabia que você ia gostar. Serviu certinho. – disse Theo, me olhando de braços cruzados.
- É. – respondi.
- Eu provei ela antes de a (Seu nome) te dar. Nós temos o mesmo número, pelo visto.
- Mentira dele, Biebs. Eu já tinha encomendado antes.
- Hum. – murmurei.
- É... a Andressa está chamando vocês para comerem. Vamos?
- Claro, meu sogro.

Fiz questão de abraçado com a minha marrentinha até lá e, jogar na cara do Theo que ela é minha. Só minha.
.............................................................................................................................

Hey Geliebers! *-* 

Hmm, Justin ciumento! Que fofo ^-^' Como será o final dessa história? Nos próximos capítulos! 

Indicações:

Gostaram? Comentem! 
~~ 10 comentários? ~~ 

Gih 

25.6.12

#IB - Believe In Everything: 32º Parte

Mode Justin on*

- Vai Justin, pode começar.

Assenti e a melodia começou a tocar. Cantei o pedaço da minha nova música e Scooter aplaudiu quando terminei. Vi minha mãe sorrindo no sofá atrás da parede de vidro e sorri também.

- Você foi incrível, meu filho.
- Essa música será mais um sucesso, Biebs.

Mordi meus lábios e deixei um sorriso enorme tomar meus lábios. Eu também tinha certeza disso. Seria meu single do meu novo CD, Believe. Ela se chama Boyfriend. Por enquanto, eu consegui compor metade da música antes de ir para o Brasil e, depois de três dias, terminei-a e compomos a melodia.

Já faz quatro dias que deixei o meu amor lá no Brasil. Pode até parecer que eu estou bem com isso, mas, eu tenho que parecer bem. Porém, eu não estou nada bem. Nem um pouco. Tudo ainda está muito vivo em minha mente e, às vezes, consigo até vê-la andando na minha direção para me beijar.
Frustrante. Muito frustrante.

- E qual vai ser a próxima?
- Não tenho certeza. – respondi.
- Depois nós vemos isso, campeão. Canta o refrão novamente, com falsetes.
- Ok.

Eu cantava lembrando-me dela. A música é praticamente pra ela. E isso me deixa um pouco mal, mas feliz ao mesmo tempo. Só de imaginar a cara dela quando ouvir, dá vontade de nunca parar de sorrir. Até que quase caí pra trás quando vi quem tinha entrado na minha sala de gravações.

Selena.

- Biebs, meu amor!

Parei de cantar na hora. Senti-me um tanto tonto e, meu deus, estou vendo duas Selenas chegando muito perto de mim.

- Gostou da surpresa?

Olhei nos olhos castanhos dela e assenti ainda tonto. Ela não estava na Malásia?

- Você não estava na Malásia?
- Estava sim, mas, como faltam três dias pro seu aniversário, é claro que eu não te deixaria sozinha!
- É verdade, nem me lembrava mais do meu aniversário.

“Seria ótimo passar meu aniversário com a Lulu”.

- E eu também adorei a sua nova música, Biebs.
- Obrigado.

Selena soltou de meus braços e disse que voltaria mais tarde para me ver novamente. Ela saiu do estúdio e sentei na cadeira mais próxima a mim e abaixei minha cabeça. Que droga. Eu sou um merda mesmo.

A última vez que a vi me veio à cabeça. Na verdade, não foi a última, foi uma das últimas. Quando ela se aconchegou em meus braços enquanto dormia. Aquilo foi magnífico pra mim, mas me dá muita vontade de largar tudo pra ficar com ela.

- Merda. Eu sou um merda. – sussurrei e senti minha mãe acariciar meus cabelos.
- Você não é um merda, meu filho.
- Você me avisou e eu nem liguei.
- Eu sei que te avisei, mas, você quis arriscar.
- Não joga a culpa pra cima de mim, mãe. Quer me deixar pior ainda?

Olhei para ela exausto e minha mãe mordeu os lábios e abriu os braços. Abracei-a forte e desabei no colo dela.

- Eu não queria jogar a culpa em você. Eu também sabia que não adiantaria avisar.
- Mas eu não devia ter me envolvido.
- Devia sim. Sabe por quê?
- Por quê?
- Porque vocês tiveram um amor lindo juntos. Se não fosse pra acontecer, passaria longe de acontecer. Mas, se ocorreu, é porque tem algum propósito.

Molhei meus lábios e fechei os olhos.

- Você sabia, não é?
- Do que?
- Que eu iria me apaixonar por ela.
- Quando eu vi o brilho nos seus olhos naquele dia do webcam, eu tive certeza. Você ficou encantado com ela.
- Como não ficar, mãe?

Sorri em meio às lágrimas. E é a mais pura verdade. Como não se encantar pela Luísa?

- É mesmo. Ela é uma menina encantadora.
- Você gostou de ser sogra dela por uns dias?

Rimos juntos.

- Gostei sim. Ela é uma boa nora.
- Eu sei que é. Uma boa namorada também.

Suspirei e deitei minha cabeça no ombro de minha mãe.

- Queria conversar com ela.
- Você não tem o MSN dela?
- Tenho, mas não tenho tempo pra conversas longas.
- Qual o problema delas serem curtas?
- Nada com ela é curto, mãe. Nadinha.

Rimos outra vez e beijei a bochecha dela com um estalo. Como eu amo minha mãe.

- Amanhã nós terminamos isso, meu filho. Já está tarde.
- Ah não mãe, eu quero terminar hoje.
- Você que sabe. Mas eu vou descansar. Há tempos não tenho a sua disposição.

Ri de minha mãe e rolei os olhos. “Tão jovem e falando isso. Só ela mesmo”. Avisei que queria cantar mais uma vez e eles colocaram a melodia. Cantei com vontade, saudade e muita felicidade.

(...)

Mode Justin off*

Estava deitada em minha cama assistindo Two and a Half Men. Encolhida em meio às cobertas e aos travesseiros. Sem falar na caixa de lencinhos de papel na escrivaninha ao lado da cama. Não tinha como estar pior.

Esfreguei meus olhos com as costas de minhas mãos e bocejei em seguida. Já eram seis da tarde e não tinha comido nada ainda. Não consigo comer. Se eu já era um palito, imagine agora. Escutei batidas na porta e mandei entrar.
Minha mãe segurava uma bandeja com comida que eu nem vi o que era, só tampei minha cara com um travesseiro.

- Filha, eu trouxe...
- Não quero comer.
- Vai fazer greve de fome agora?            
- Esse cheiro tá me deixando enjoada.
- Você não come nada tem dois dias!
- Eu não consigo comer, mãe!
- Anda Luísa, eu fiz sopa de legumes!
- Eu quero ele, mãe.

As lágrimas começaram a se formar e ela sentou ao meu lado depois de deixar a bandeja de lado. Me abraçou enquanto desabava de tanto chorar em seu ombro.

- Eu sou uma desmiolada! – gritei aos soluços.
- Não é não, minha filha.
- Por que eu fui me apaixonar por ele, mãe?
- Você já era apaixonada nele.
- Mas eu fiquei mais ainda!

Chorei mais e mais e consegui acabar com a caixa de lenços. Já é a segunda só hoje. Quem mandou eu me apaixonar por um garoto que mora a milhões de quilômetros de distância? Logo o Justin, poxa.

- Como será que ele está lá, mãe?
- Comendo, eu aposto.
- Não adianta me provocar, tá? Eu não vou comer.
- Uma colher só, minha filha.
- Não quero.

Funguei e sequei meu rosto novamente. Eu sou muito escandalosa. Ele nem deve estar sofrendo por minha causa, tenho certeza. Vi meu celular vibrar ao lado da caixa de lenços vazia e vi que Rafa me ligava.

- Oi Rafa.
- Chorando de novo por causa do Biebs?
- Como você sabe?
- Sua voz ta horrível.
- Eu sei! – resmunguei.
- Desculpa! Mas, olha, eu vou te provar que ele não tá sofrendo por você.
- O que você viu?
- Entra lá naquele site que você vê as notícias dele agora e me diz o que eu vi.

Pulei da cama e coloquei no Bieber Mania. Morri de chorar outra vez.

- Porque você quis me mostrar isso, sua monstra!
- Mas é a verdade, Lú. Ele nem lembra mais de você.
- Não fala assim!

Desliguei o telefone e joguei-o no chão. Minha mãe me olhou assustada e continuei a chorar. O que tinha na matéria? Justin e Selena se beijando. Isso é de partir meu coração. Eu sei que ele a tem como namorada, mas, ele também é meu.

Só meu.
.............................................................................................................................

Hey Geliebers! *-* 

Obrigada pelos 22 comentários lindas! Estou muito feliz com isso, viu? (': 

Jesus, que tristeza sem fim! Será que o Justin vai voltar a conviver com a Selena sem pensar na Luísa? E ela, vai conseguir parar de chorar desesperadamente por causa do Biebs? No próximo capítulo! ;* 

Indicações:

Gostaram? Comentem! 
~~ 10 comentários? ~~ 

Gih